28.03.2014  /  10:23

Cintia Dicker abre mão de cachê alto para ser atriz. Tudo na entrevista!

 

Cintia Dicker com cada vez mais espaço na Globo

Por Michelle Licory

Cintia Dicker definitivamente conquistou Luiz Fernando Carvalho. A top “virou” atriz sem nunca ter tido pretensão alguma com o ofício, graças ao olhar do diretor, que pinçou a moça para debutar no especial para o Fantástico “Correio Feminino”, uma série de dramaturgia sobre textos de Clarice Lispector.  E, para quem ainda não sabe, Luiz insistiu na ideia e a escalou novamente, desta vez para a novela “Meu Pedacinho de Chão”. Glamurama foi conversar com ela nessa quinta-feira, no Projac. Confira a entrevista.

* Você é uma modelo de muito sucesso e uma atriz iniciante. Deve ter muita diferença entre os dois cachês…  “Sim, não tem nem comparação. É outra coisa. Mas sou modelo há quase 14 anos. Quero voltar a morar no Brasil e esse trabalho vai me abrir portas. Sim, é também um investimento a longo prazo. Mas não aceitaria qualquer convite. Vim porque era o Luiz. Eu estava de volta a Nova York [depois da série] e ele me chamou de novo. Pensei muito. Mas era para viver a filha do Antônio Fagundes, trabalhar com o lúdico em uma história de fantasia. Fiquei apaixonada.”

* Mas você largou tudo em Nova York para apostar todas as fichas nessa nova carreira? “Consegui cumprir todos os contratos que já havia fechado antes de vir. Só tenho feito trabalho em São Paulo, quando dá. Não vou fazer São Paulo Fashion Week, nem Fashion Rio. Não tenho espaço na agenda. Mas não vim de vez. Volto para Nova York, sim. Mas só depois de agosto, quando as gravações terminam. E eu ainda vou tirar umas férias…”

* Conta um pouco sobre o seu papel? “Minha personagem é a Milita, filha do Giácomo, um italiano, com uma caipira, que morreu. Ela ajuda o pai na venda da cidade. E aí o Viramundo [Gabriel Sater], um andarilho, chega e se apaixona por mim. A gente começa a viver uma história de amor, escondida do meu pai.”

* Já está confortável para interpretá-la? “Sim, fizemos workshops por dois meses: aulas de circo, máscaras, dança e canto… A gente ainda por cima canta nessa novela.”

* Em tempo: claro que a gente foi perguntar para o diretor por que fez questão de ter a Cintia em seu elenco. “Foi uma avaliação do resultado do primeiro trabalho dela. Cintia tem um talento espontâneo. Também tentei encaixar na novela as outras atrizes de ‘Correio Feminino’, mas é uma dramaturgia enxuta. A Milita combina com o temperamento da Cintia e tem o tamanho ideal para um início de carreira. E ela é filha do Fagundes… Tem aula grátis! Na verdade, foi pela audiência que Cintia deu. Bateu picos.”