26.10.2020  /  11:30

Cindy Adams, conhecida como a ‘primeira-dama da fofoca’ dos EUA, afirma que maioria silenciosa vai garantir a vitória de Trump

Cindy Adams || Créditos: Reprodução

Rupert Murdoch pode até achar que Donald Trump tem pouquíssimas chances de conquistar o direito de permanecer mais quatro anos na Casa Branca nas próximas eleições presidenciais dos Estados Unidos, mas uma das funcionárias mais famosas do magnata da mídia discorda dessa visão. Há décadas colunista do “New York Post”, um dos braços mais poderosos do império de Murdoch, a sempre bem informada e autointitulada “primeira-dama da fofoca” Cindy Adams explicou em sua última coluna que acha que uma “maioria silenciosa” deverá votar em massa no republicano quando os americanos forem às urnas, no começo do mês que vem.

Adams, que é amiga pessoal de Trump, revelou que recebeu uma ligação dele dias atrás, e o assunto dos dois foi justamente esse (além de falar mal de Joe Biden, o candidato democrata à Casa Branca em 2020, claro). À parte os prognósticos eleitorais, tanto ela quando o atual chefe do executivo americano consideram que Kamala Harris, a companheira de chapa de Biden, não é uma pessoa confiável – “Ela claramente quer ser presidente também”, escreveu Adams – e ter um vice tão sedento pelo posto de titular, na visão deles, não é nem um pouco positivo.

Mais de 52 milhões de americanos votaram antecipadamente pelo correio até agora, e pesquisas indicam que pelo menos 70% deles são simpatizantes do Partido Democrata de Harris e Biden. Além disso, as últimas pesquisas de intenção de voto feitas nos EUA apontam para a vitória da dupla no dia 3 de novembro. Como a própria Adams costuma escrever, “quem viver, verá!”. (Por Anderson Antunes)

Donald Trump com a colunista || Créditos: Reprodução