16.11.2019  /  9:00

Em entrevista, Carol Ribeiro revela momentos marcantes nos red carpets da vida: “Quanto mais madura a celebridade, mais legal é a conversa”

Carol Ribeiro || Créditos: Paulo Freitas

Caroline Ribeiro não pretende parar tão cedo com a vida de modelo! Mas ampliou seus horizontes. Atualmente, além das passarelas e ‘photo shootings’, ela comanda a agência de modelos Prime, é apresentadora e viaja por aí fazendo entrevistas quentíssimas com hollywoodianos nos principais red carpets mundo afora. Aos 40 anos, Carol conta para Glamurama como é se adaptar ao novo cenário da moda, redes sociais e digital influencers. “Ainda existe um abuso de imagem, mas acho que vamos chegar a um denominador comum, estamos caminhando para isso”. (por Luzara Pinho)

Glamurama: Você é uma veterana na moda. O que pensa dessa nova geração e do envolvimento cada vez maior desse mercado com as redes sociais?
Carol: Acho necessário, não tem mais como voltar atrás. Tudo que é novo deixa um ponto de interrogação na nossa cabeça, mas a gente tem que aprender. Essa turma nova já vem com os dedos nas redes sociais, sabe lidar com isso. Para mim, é uma coisa que aprendo e ainda sofro um pouco. Não sei o quanto estou disposta a me expor, porque tenho um limite.

Glamurama: Teve que se adequar a isso?
Carol: Questiono o quão importante é minha vida para que os outros saibam. Mas entendo que essa curiosidade existe. Ainda existe um abuso de imagem mas acho que vamos chegar a um denominador comum, estamos caminhando para isso.

Glamurama: Na sua opinião, o que mudou na moda desde o início da sua carreira?
Carol: Teve um lado muito bacana que mudou, em relação à maneira que se faz moda e que se consome. As pessoas estão muito mais exigentes e preocupadas com o que compram. É um processo lento, porém essa tomada de consciência é muito importantes. As bandeiras que estão sendo levantadas.

Glamurama: Você pensa em se aposentar da carreira de modelo?
Carol: Fiz 40 anos agora, fui chamada para desfilar no dia do meu aniversário. Enquanto me chamarem eu vou, porque me divirto, gosto do que eu faço. Se o trabalho for legal, eu vou e muito feliz! Hoje também faço TV e tenho minha agência de modelos, sou sócia na Prime, que pra mim é um novo desafio. Estou sempre disposta a novos desafios.

Glamurama: De uns tempos para cá você tem arrasado na cobertura dos ‘red carpets’ ao redor do mundo. Como isso pintou na sua vida?
Carol: É surreal o fato de eu estar lá, me assusta até hoje. Ao mesmo tempo é muito trabalho, a gente estuda muito! A gente fica tão pouco tempo conversando com aquela celebridade, que ninguém imagina o tanto de estudo que tem por trás.Tem muito trabalho para aparecer naquele glamour no tapete vermelho. É uma experiência maravilhosa, de aprendizado mesmo.

Glamurama: Alguma entrevista te marcou?
Carol: Helen Mirren. Ela é uma pessoa que tem uma carreira consolidada. Esses artistas são muito mais fáceis de entrevistar pela segurança que eles têm. Eles te olham no olho, te respondem, entendem a loucura da nossa situação ali. A Helen é um bom exemplo dessa generosidade. Quanto mais madura a celebridade, mais fácil e mais legal é a conversa. Os artistas mais novos ainda estão se descobrindo, estão tão nervosos quanto eu ali.

Glamurama: Como é abordar e entrevistar celebs hollywoodianas. Já rolou alguma saia justa?
Carol: Já! Eu não reconheci o Jamie Dornan, de “50 Tons de Cinza”. Ele não estava na lista então eu não estava esperando. É quase que robótico, a gente deduz quem é quem e ele apareceu do nada, foi uma confusão!