19.08.2015  /  19:26

Carlos Araújo, ex-marido de Dilma, sai em defesa da presidente

O ex-marido de Dilma Rousseff  avalia o país || Créditos:Divulgação

O ex-marido da presidente Dilma Rousseff, Carlos Araújo, acaba de retornar de Brasília , onde recebeu uma homenagem do Tribunal Superior do Trabalho e esteve na Alvorada com a presidente na semana passada. Otimista, o advogado e ex-deputado definiu ao Canal Poder a crise econômica como sendo cíclica do capitalismo com alguns ingredientes próprios, mas disse que o país terá recuperação lenta da economia no ano que vem.

Para ele, Aécio Neves sabe que este é o pior momento, e tenta forçar a saída de Dilma Rousseff porque precisa de eleição agora: “Ele jamais vai conseguir impedir que Geraldo Alckmin seja o candidato à presidência do PSDB em 2018”, acredita. Garantiu, ainda: “Dilma Rousseff não vai renunciar, isto é a coisa mais certa do mundo.” Avalia, também, que Fernando Henrique Cardoso – que não era um entusiasta da saída de Dilma, mas depois das manifestações de domingo sugeriu que seria um gesto de grandeza a renúncia dela – mudou de posicionamento para harmonizar o partido para enfrentar Lula em 2018. Isso porque estavam aliados de Aécio de um lado defendendo o afastamento de Dilma, enquanto os outros caciques tucanos José Serra e Geraldo Alckmin e o próprio FHC pisando no freio. Para ele, Aécio Neves tem três C que são seus ideólogos: Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, Ronaldo Caiado, líder do DEM na mesma casa e Carlos Sampaio, líder do PSDB na Câmara dos Deputados. O ex- marido de Dilma arrematou dizendo que a crise política é “artificial”, se referindo a falta de base legal para pedir impeachment da presidente. (Por Paula Bonelli)