03.09.2020  /  15:23

Caio Castro investe em carreira no automobilismo e revela que não pretende atuar em 2021

Caio Castro / Crédito: Instagram

Quando está fora dos holofotes, Caio Castro nutre o seu amor pelo automobilismo. O namorado de Grazi Massafera, também campeão da Fórmula Kart de São Paulo, começou nas corridas em 2008, um ano depois de dar início à sua carreira na televisão e, desde então, mantém as duas profissões ao mesmo tempo. “Uma carreira não inviabiliza a outra”, conta Caio em coletiva de imprensa nesta quinta-feira.

Agora, o ator assinou contrato com a Porsche Cup e irá fazer sua estreia no campeonato de 2021, ano em que não pretende atuar e se dedicará apenas ao automobilismo. Mesmo há anos dentro desse mundo, ele revela que a família se preocupou com essa sua nova fase. “A preocupação é normal, até eu tenho, mas os homens da família amaram, pediram até ingresso”, revelou. A seguir, confira a entrevista completa.

Como surgiu eo convite de correr na Porsche Cup?

Caio Castro: Esse meu lado não é tão conhecido, mas ele existe há anos. Eu comecei a correr de kart em 2008, e comecei a atuar em 2007, só pra vocês terem noção. O início foi como amador, e depois de muito treino fui para o profissional. A única diferença é que agora, nessa modalidade do Porsche Cup, se tornou público.

Quando surgiu o seu interesse pelo mundo automobilístico? Isso vem desde criança?

Caio Castro: Quando eu era criança, não conhecia direito o mundo automobilístico, então não tinha ideia de que poderia trabalhar com isso. Mas a minha mãe costuma contar que eu tinha um carrinho de tico-tico e, assim que eu comecei a usar ele, já queria andar rápido, fazer de tudo. Desde pequeno tenho esse instinto.

Você está ansioso para estrear nessa modalidade?

Caio Castro: O nervosismo sempre bateu, é isso que me move. O processo de superação, preparação. Claro que isso gera ansiedade, mas é ótimo, faz parte.

Quais são as suas maiores inspirações na modalidade?

Caio Castro: O Rubens Barrichello e o Senna são as minhas maiores inspirações, com certeza. O Rubens me ajuda muito e é um grande amigo. Um privilégio ser amigo de alguém que considero ídolo. Ter esse toque, essa supervisão de um cara que vive do automobilismo desde muito cedo é um privilégio. Fico besta mesmo. Mas claro que tenho inspirações estrangeiras, como Michael Schumacher. Acompanho também o Felipe Massa.

No meio de tudo isso, como fica a sua carreira de ator?

Caio Castro: Uma carreira não inviabiliza a outra, tanto que elas coexistiram até hoje. Eu já tinha um método de trabalho que era um ano fazendo novela, e o outro para pensar mais em mim, me cuidar e deixar a cabeça mais fria. Então, em 2021 o meu foco será a Porsche Cup. Além disso, ainda tenho a Copa São Paulo de Kart esse ano.

Qual foi a reação das mulheres da sua família?

Caio Castro: As mulheres da minha família ficaram preocupadas, tomaram um sustinho. Mas elas me falaram que querem que eu seja feliz. A preocupação é normal, até eu tenho, mas os homens da família amaram, pediram até ingresso.