05.01.2018  /  13:43

Caio Blat sobre seu papel em “Deus Salve o Rei”: “acho que foi erro de escalação”

Em “Deus Salve o Rei”, Caio Blat será Cássio, comandante do exército de Montemor, e se diverte ao falar do papel: “Me chamaram pra ser chefe da guarda, o que achei muito engraçado porque parece um erro de escalação. Sou o mais pacífico, mais magro, o menor de todos… Tenho que usar uma roupa enorme, armaduras… A espada pesa mais do que eu. Jamais conseguiria lutar com aquilo”.

Brincadeiras à parte, Caio explica que o elenco teve uma grande preparação antes de começar a gravar nova novela global das 7, que estreia nesta terça-feira, o que uniu o grupo e deu know how para a interpretação de personagens medievais. “Tivemos treinos de lutas, porque usamos armas muito pesadas, como espadas, arcos, escudos, e os movimentos têm que respeitar isso com muito cuidado. Serão muitas batalhas. O engraçado é que a trama se passa na era medieval mas esta é a produção mais tecnológica que já fiz. A gente faz muita coisa com 3D, chroma key, computação, efeitos visuais”, comenta Caio, que se espantou ao saber que existe um boneco 3D feito para ele: “Algumas imagens vocês vão ver com meu rosto e nem fiz a cena”.
 
O ator levou o filho Bento, de 7 anos, fruto de seu casamento com Maria Ribeiro, para conhecer a cidade cenográfica de “Deus Salve o Rei”: “Ele foi à academia militar, viu os treinamentos, as lutas, pegou nas armas. Ver o pai dele como cavaleiro medieval, lutando com lança e espada, é muito divertido, diferente”, conta, orgulhoso. ”Nunca deixei o Bento ver nenhuma novela, porque era pequeno demais. Mas essa vai ser uma que ele vai poder assistir e curtir. Ele está ansioso, viu as chamadas”.
 
Caio Blat começou a carreira bem jovem e não perde o prazer em atuar. “Acho que já tenho que me aposentar, estou cansado, idoso, meio caquético (risos). Estou brincando. Amo o que faço, nem parece trabalho… Tenho prazer de conviver com essas pessoas e, depois de 30 anos de carreira, já conheço todo mundo”, diz.
 
Para viver um cavaleiro medieval, o ator lembra que esse mundo de conto de fadas, de reis e rainhas, está no imaginário de todos, e trouxe para o personagem algumas referências de livros importantes que leu na adolescência. Apesar das comparações que vem sendo feitas entre a trama das 7 e “Game of Thrones”, ele  confessa que nunca assistiu um episódio sequer da premiadíssima série. “Lembro de livros que se passam na época medieval que me marcaram muito, como ‘O Perfume’ e ‘O Físico’. Li na minha adolescência. Era um menino que se refugiava nessa realidade distante, com cavaleiros e reinos mágicos. Nunca vi ‘Game of Thrones’, ‘Vikings’… Esse universo é legal, tem as lendas e a coisa dos cavaleiros carregarem um código de honra, protegerem os príncipes”.
 
Porém, em algum momento da história, Cássio se virará contra seu príncipe Afonso (Romulo Estrela) e eles passarão a disputar o amor de Amália (Marina Ruy Barbosa). Na vida real, Caio está namorando a atriz Luisa Arraes, há cerca de quatro meses. “Estamos ótimos”, limita-se a dizer sobre a relação.
 
Para 2018, o ator espera um Brasil melhor: “O Brasil precisa voltar a dialogar para criar um novo projeto pro futuro. O país ficou muito dividido, bagunçado, a economia está aos poucos voltando mas ainda tem muita gente desempregada A política está de pernas pro ar. Quanto mais gente corrupta presa melhor, mais renovação. Precisamos criar uma nova perspectiva, novos candidatos que tragam valores, ética, preocupação com o meio ambiente, sustentabilidade…”.
 
“Deus Salve o Rei” estreia no dia 9 de janeiro. (por Gisele Cassus)