07.08.2020  /  23:42

Caetano Veloso comemora 78 anos com os filhos em live cheia de clássicos: “Não somos uma família de músicos, somos músicos muito família”

Caetano Veloso em sua live de aniversário // Reprodução

Acabou de acontecer uma das lives mais esperadas dos últimos tempos. Não a toa foi batizada de #livealenda. Caetano Veloso comemorou seus 78 anos com show virtual diretamente de sua casa no Rio de Janeiro. Devidamente acompanhado dos filhos Moreno, Zeca e Tom, formação original da turnê Oratório, que rodou o mundo em 2018 e 2019, foi sem dúvida uma live de responsa. Tecnicamente impecável e recheada de clássicos da MPB, encheu a sexta-feira de muita gente de poesia e música da melhor qualidade. Não, Caetano não se apresentou de pijama, como havia sido cogitado. Elegante, como sempre, o aniversariante usou camisa clara e calça acinzentada arrematados por chinelos Gucci, presente de Preta Gil, que o próprio Caetano confessou achar horríveis… mas confortáveis.

Os filhos seguiram o figurino do pai, usando camisa e calça em cores neutras. O caçula Tom deu o toque despojado ficando descalço, só de meias. E a sobriedade dominou a live, tanto nos outfits e no cenário – em que uma enorme estante cheia de CDs e livros se destacava – , como no tom do show, com voz suave, violões dedilhados… Aliás, a voz de Caetano segue em ótima forma, alcançando tranquilamente os agudos característicos de suas composições.

No repertório, alguns dos maiores clássicos do cantor – não daria para contemplar todos em apenas 1 hora e meia, tempo de duração do show -, que renderam momentos incríveis, como quando Caetano soltou a voz em ‘Tigresa’, ‘O Homem Velho’, ‘Sampa’, ‘Índio’, ‘Trilhos Urbanos’, ‘Reconvexo’, ‘Podres Poderes’…

Teve espaço também para ‘Pulsar’, poema de Augusto de Campos musicado pelo aniversariante, composições de cada um dos três filhos, críticas ao governo, alerta para o perigo do coronavírus para a população indígena e conversas pontuais entre uma canção e outra. “Não somos uma família de músicos, somos músicos muito família. Só ensaiamos uma vez para a live”, brincou Caetano, modesto, ao falar de outros gênios da MPB, como Tom Zé e Milton Nascimento.

O momento de descontração ficou mesmo para o final, quando Tom entrou com um bolo nas mãos e todos cantaram Parabéns a Você para Caetano. Foi lindo! Ele merece!