16.05.2021  /  9:00

Cabeleireiro britânico queridinho das celebs fala sobre beleza, pandemia e clientela estrelada: “Não tem diferença para mim”

Chris Appleton com Kim Kardashian, Ariana Grande e JLo // Reprodução

Você pode não conhecer, mas com certeza já admirou os cortes e penteados fotogênicos criados por ele nos tapetes vermelhos e fotos de paparazzi. Chris Appleton é o hairstylist preferido de celebs, como Dua Lipa, Jennifer Lopez, Kim Kardashian, Ariana Grande e Katy Perry, só para citar algumas. Em entrevista recente ao portal The Cut, o cabeleireiro britânico falou sobre o propósito por trás do seu trabalho, a relação com as clientes famosas e a beleza na pandemia. Ao papo!

PROPÓSITO
“Tudo começou porque gosto de fazer as pessoas se sentirem bem”, revelou Appleton ao lembrar que o primeiro penteado que fez na vida foi em sua mãe, aos 9 anos de idade: “Quando ela se olhou no espelho, percebi que estava linda e se sentia radiante. Por um minuto ela se esqueceu das tarefas, da rotina e de que era uma mãe com cinco filhos”. O propósito em seu trabalho é tão  importante que o hairstylist conta que trabalhou com pacientes com câncer, fazendo perucas. “Conhecia tão bem essas mulheres e elas eram fortes, mas quando perderam seus cabelos foi como se tivessem perdido a identidade. Depois de colocar as perucas que eu preparava, elas saíam do salão sentindo que podiam enfrentar qualquer coisa e lutar contra a doença”, relembrou.

O CABELO DAS CELEBRIDADES
Apesar de ser o queridinho de atrizes e cantoras conhecidas mundialmente, Chris confessou não levar isso em consideração para não se deixar o nervosismo tomar conta. “Não tem diferença para mim fazer o cabelo da Sra. Jones que vem ao salão todas as semanas, tem 80 anos e usa uma bengala ou o de uma celebridade. Amo o que faço e meu objetivo principal é sempre o mesmo: fazer com que as pessoas tenham a melhor aparência. Para mim, realmente não importa quem ou do que se trata. Cabelo bonito faz com que qualquer pessoa se sinta bem. É universal”.

BELEZA PANDÊMICA
Para o cabeleireiro, a pandemia virou não só o mundo de cabeça para baixo, mas também a indústria da beleza, que, ao contrário da maior parte das áreas, não para de crescer. “Tudo mudou. As pessoas estão cada vez mais dispostas a abraçar o natural porque foram forçadas a isso. Mulheres estão redescobrindo a textura natural do cabelo, voltando a ser morenas depois de passarem a vida inteira sendo loiras. Estávamos tão acostumados a conveniência de ir a um salão que acabou virando um processo mecânico. Então, veio a pandemia e parou tudo. Sinto que hoje a beleza ficou muito mais artesanal, as pessoas começaram a secar o próprio cabelo e fazer a própria maquiagem, por exemplo, e, por isso, passaram a valorizar muito mais o trabalho que leva para alcançar um look-desejo”, revelou o cabeleireiro. Appleton ainda revela que os dias em casa trouxeram uma consciência maior do quanto nossa aparência impacta em nossa autoestima e humor: “Recebo relatos de clientes e amigas falando que quando o cabelo não está bonito elas simplesmente não conseguem se sentir bem. Foi bom ver que as pessoas passaram a apreciar o poder de um cabelo bonito e uma maquiagem bem feita e entender o que isso pode fazer pela sua autoconfiança. Realmente te levanta!”.