04.09.2019  /  17:55

Burning Man tenta voltar às raízes, mas ainda é o queridinho de modelos e milionários. Vem saber!

Burning Man muda conceito e recebe críticas / Crédito: Instagram

Não é de hoje que o Burning Man – festival criado para ser um experimento social colaborativo e de comunidade, que rola todos os anos no deserto de Nevada, nos Estados Unidos – deixou de lado seus verdadeiros ideais. Nos últimos anos, o evento virou cenário para celebridades e milionários que querem “fazer bonito” no Instagram. Com isso, o seu propósito tem sido muito questionado. Em um post publicado em fevereiro, Marian Goodell, CEO da Burning Man, enfrentou algumas críticas sobre a alarmante mudança na cultura do festival, entre elas, o tratamento preferencial dado pela organização para “garotas gostosas”, além da promoção de experiências destinadas apenas para 1% do público presente e empresas e influenciadores vendendo produtos por lá. Goodell prometeu mudar, mas sua declaração não surtiu efeito, principalmente diante do que vimos na edição de 2019, que acabou recentemente. Celebs como Paris Hilton, angels da Victoria Secret’s e até o bilionário Ray Dalio,  investidor americano fundador da Bridgewater Associates, uma das maiores gestoras de fundos de investimento do mundo, marcaram presença no agito. Tudo devidamente registrado nas redes sociais, claro! Quanto à venda e propaganda de produtos? Bem, o DJ Diplo apareceu em um jato particular estampado com o logotipo da lanchonete Popeyes com sacolas cheias de sanduíches de frango. Paris Hilton também trabalhou muito em GIFs do evento postados à exaustão… Parece que essa onda veio para ficar. Dá só uma olhada nos cliques!

View this post on Instagram

#BurningMan ⚡️⚡️

A post shared by Paris Hilton (@parishilton) on

View this post on Instagram

Three blvnd blonds @blondish @parishilton

A post shared by Thomas Wesley (@diplo) on

View this post on Instagram

Meanwhile

A post shared by ⚡️Simi & Haze⚡️ (@simihaze) on