11.03.2018  /  9:00

Bruno Gissoni fala sobre relação com Yanna Lavigne: “Temos um casamento não sendo um casamento”

Bruno Gissoni e a filha Madalena || Créditos: Reprodução Instagram

Bruno Gissoni, mais conhecido ultimamente como o “pai da Madalena”, não fica chateado quando o chamam assim. Nos últimos nove meses sua vida tem girado em torno da pequena, fruto do relacionamento com a atriz Yanna Lavigne. “Quando posto uma foto da Madalena recebo tanto amor de volta que não me importo em ser o ‘pai da Madalena’, pelo contrário, tenho o maior orgulho”, diz ele, que construiu com Yanna uma família não convencional, porém cheia de afeto. “Madalena representa algo muito lindo, que talvez seja a modernidade e um novo estilo de família. A bandeira que a gente levanta é a do amor em primeiro lugar”, fala. Bruno lembra que muitas pessoas se forçam a ficarem casadas por uma questão social ou pela crítica dos outros. “Mas a gente decidiu criar essa família, ter um elo e ter um casamento não sendo um casamento, de uma forma muito mais pura que é a ligação pelo amor, e só”..

Recentemente, ele deu uma resposta atravessada a uma hater que comentou a foto de sua filha no Instagram. Bruno não gostou de ler que a pessoa tinha pena de Madalena por ela “não ter uma família”. “Tive que responder, né? Mas tudo bem… Na resposta disse que tentei me colocar no lugar dela, que talvez seja uma pessoa que não receba tanto amor, que pode ter sido criada em uma família tradicional, mas talvez despedaçada”, comenta ele. O ator acha o Brasil um país muito conservador, onde as pessoas tendem a julgar uns aos outros sem saber de fato do que acontece. “Eu e a Yanna temos uma relação muito pura, transparente, linda, a gente é rodeado de amor e isso é difícil das pessoas entenderem, porque quando pensam em um casal separado, já pensam em briga, raiva, ódio… Com a gente é completamente o oposto, temos um amor em comum e incomum”, garante.

Bruno não tinha noção do que era ser pai, antes do nascimento de Madalena. Para ele, o homem tenta dizer que é pai desde a gravidez da mulher, mas é bem verdade que só se sente nesta posição mesmo quando o bebê nasce. “É um amor que cresce a cada dia, você acha que chegou em um limite e aí fica maior. É incrível. O homem só entende a complexidade disso tudo quando está segurando o bebê nas mãos”.

O ator voltará ao ar na próxima novela das seis, “Orgulho e Paixão”, que estreia dia 20 de março, em que fará o personagem Uirapuru, o poeta “trovador” que conquista corações mas tem um espírito livre, e teve que se distanciar um pouco da filha por conta das gravações. “Gosto muito de trabalhar, gravar, mas a cabeça agora fica na Madalena. A Yanna não está trabalhando, então é um momento oportuno. Ela fica mais em casa com nossa filha enquanto estou gravando.”