21.03.2018  /  14:22

Brasileiro cofundador do Facebook também levou tombo na bolsa por causa de suposto vazamento

Eduardo Saverin || Créditos: Getty Images

Não é só Mark Zuckerberg que perdeu bilhões no começo da semana por causa da reação de investidores da bolsa eletrônica Nasdaq ao novo escândalo envolvendo o Facebook, do qual é cofundador e principal acionista com uma fatia de 16%. Como Glamurama contou nesta terça-feira, o site de relacionamentos está sendo acusado de ter compartilhado ilegalmente os dados de mais de 50 milhões de seus usuários com a empresa britânica Cambridge Analytica, que participou ativamente da campanha que levou Donald Trump à presidência dos Estados Unidos em 2016.

Desde a segunda-feira, o primeiro dia de pregão depois que o suposto vazamento veio à tona, Zuck viu mais de US$ 8 bilhões (R$ 26,3 bilhões) em papéis do Face que possui se evaporarem, embora nesta quarta-feira a queda acentuada tenha dado sinais de que entrou em “stand by”. Mas ele não é único cuja fortuna diminuiu nas últimas 48 horas: o brasileiro Eduardo Saverin, que também participou da criação do site e é seu segundo maior acionista atrás apenas do bilionário americano, terminou a semana passada com mais de US$ 10,1 bilhões (R$ 33,2 bilhões) e agora tem US$ 9,8 bilhões (R$ 32,2 bilhões).

A grande expectativa neste momento é sobre o depoimento que Zuckerberg deverá prestar no Parlamento Britânico, que o convocou para prestar esclarecimentos sobre o caso envolvendo a Cambridge Analytica. E o pior é que tudo indica que o Senado dos Estados Unidos deverá fazer o mesmo em breve, e qualquer declaração dele a partir de agora certamente irá causar impacto no mercado de capitais. Aliás, não é por acaso que ele sumiu de vista logo que entrou no olho do furacão… (Por Anderson Antunes)