Albert e Charlene com os filhos, Jaime e Gabriela
Albert e Charlene com os filhos, Jaime e Gabriela || Créditos: Reprodução

Brasileira afirma na justiça italiana que teve filho com o príncipe Albert e pede que o ‘royal’ faça um teste de DNA

31 Compartilhamentos
30
0
1
0
0
0
Albert e Charlene com os filhos, Jaime e Gabriela
Albert e Charlene com os filhos, Jaime e Gabriela || Créditos: Reprodução

Pai de dois filhos ilegítimos, o príncipe Albert de Mônaco em breve poderá ser obrigado a ter que reconhecer um possível terceiro que teve fora do casamento. O rebento em questão seria fruto de uma rápida relação que o chefe de estado do principado mais famoso do mundo teve em 2005 com uma brasileira que vive em Milão, e que no fim do ano passado o acionou na justiça da Itália em um polêmico processo de admissão de paternidade.

A identidade da mulher é um mistério, mas é sabido que trata-se de alguém que leva a vida como modelo e que a audiência mais recente sobre o caso rolou na última semana de 2020. Por meio de seus advogados, o chefe da Casa Real de Grimaldi negou na ocasião qualquer relação com ela e seu suposto herdeiro, que hoje estaria com 15 anos. Em contrapartida, os representantes legais dela pediram que o “royal” se submetesse a um teste de DNA.

Albert já é pai de Jazmin Grace Grimaldi, de 28 anos, sua filha com a ex-modelo americana Tamara Rotolo, e de Alexandre Coste, de 17 anos, nascido de um encontro de uma noite que ele teve com a ex-aeromoça togolesa da Air France Nicole Coste. Ambas precisaram processá-lo para garantir o recebimento de pensões para criar os filhos, com os quais o primogênito de Grace Kelly acabou desenvolvendo uma relação próxima no fim dos imbróglios.

Casado desde 2011 com Charlene Lynette Wittstock, que virou princesa Charlene de Mônaco, Albert teve com a ex-nadadora olímpica sul-africana os gêmeos Jaime, príncipe herdeiro de Mônaco, e Gabriela, condessa de Carladès, de 6 anos. Pelas regras da realeza monegasca, apenas herdeiros legítimos dos príncipes e princesas de lá têm direito a um lugar na linha sucessória. (Por Anderson Antunes)