15.01.2019  /  8:11

“Bohemian Rhapsody”, a cinebiografia de Freddie Mercury, já rendeu mais de R$ 140 mi para a mulher do cantor

Mary Austin e Freddie Mercury || Créditos: Getty Images

Mary Austin, a misteriosa mulher que é considerada o grande amor da vida de Freddie Mercury, vai receber nessa semana o primeiro pagamento referente aos royalties a que tem direito sobre a bilheteria internacional total de “Bohemian Rhapsody”, a cinebiografia do líder do “Queen” que está entre os filmes mais lucrativos do ano passado. A bolada gira em torno de US$ 38 milhões (R$ 140,6 milhões).

Filmado com um orçamento de apenas US$ 52 milhões (R$ 192,3 milhões), baixíssimo para os padrões de Hollywood, o filme faturou até agora mais de US$ 774 milhões (R$ 2,86 bilhões) em todo o mundo, sendo que 10% do valor arrecadado com a venda de ingressos deverá ir para a conta da empresa que administra o espólio do cantor, da qual Austin é sócia com uma cota de 50%.

Apesar de ter tido seu casamento com Mercury cancelado antes da morte dele em 1991, Austin, que o conheceu quando dava expediente em uma boutique descolada de Londres, foi uma das principais beneficiárias no testamento deixado pelo ídolo musical, e desde então embolsa a metade de todos os rendimentos post mortem gerados pelo intérprete de “Love of My Live”, música composta em sua homenagem. (Por Anderson Antunes)

Rami Malek e Lucy Boynton em cena de “Bohemian Rhapsody”: o casal da vida real interpreta Mercury e Austin na fita || Créditos: Divulgação