06.02.2019  /  9:43

Bob Marley, que faria 74 anos nesta quarta, “faturou” mais de R$ 84 mi só em 2018. Veja outras curiosidades do rei do reggae!

Bob Marley || Créditos: Getty Images

Sabia que Bob Marley, que completaria 74 primaveras nessa quarta-feira, continua sendo um dos artistas mais bem pagos do mundo mesmo no além-túmulo? Morto em maio de 1981, o rei do reggae “faturou” US$ 23 milhões (R$ 84,3 milhões) só no ano passado graças aos royalties das músicas que deixou gravadas e ao lucro que a imagem dele, certamente uma das mais icônicas da história do showbiz, continua rendendo.

Em homenagem ao aniversário de nascimento do intérprete da inesquecível “No Woman, No Cry”, Glamurama aproveita a ocasião para lembrar outras curiosidades sobre o cantor que cravou sua marca na história e que continua fazendo muita falta. Continua lendo… (Por Anderson Antunes)

Marley, sem barba e de turbante, com um amigo de juventude || Créditos: Reprodução

De olho no futuro

Quando Marley era mais novo, ele adquiriu o hábito de ler mãos e costumava acertar em cheio muitas de suas previsões. Morador de Kingston, capital da Jamaica, o futuro astro musical chegava a atrair pessoas vindas de cidades vizinhas e ávidas para saber o que o destino lhes reservava.

Ele nunca deixou de acender um || Créditos: Getty Images

Bicho-grilo convicto

Marley sempre foi da paz, mas em inúmeras ocasiões ele teve complicações com a justiça, em resumo por causa do gosto pela maconha que sempre foi um dos traços mais marcantes da biografia dele. O cantor chegou a ser preso em duas ocasiões por porte da erva, em 1968 e 1977, mas isso não o impediu de continuar fumando baseados até o fim da vida.

A Marley Natural foi idealizada antes do hype em torno da maconha || Créditos: Reprodução

Investidor visionário

Por falar em maconha, que hoje em dia é praticamente uma commodity, Marley enxergou o potencial da erva décadas atrás quando idealizou a Marley Natural, uma fabricante de produtos a base de cannabis. A marca foi lançada no mercado oficialmente em 2016, em parceria com a empresa de investimentos americana Privateer Holdings, e é um sucesso: a maior parte dos lucros gerados pela imagem dele vem do negócio.

Chico Buarque com o rei do reggae || Créditos: Reprodução

Apaixonado por futebol

Como quase todos os jamaicanos, Marley sempre foi fascinado por futebol. Dizem até que o esporte era a segunda maior paixão dele – depois da música, claro. Quando era mais jovem, o cantor formou um time de boleiros que batizou de House of the Dread, e durante uma visita que fez ao Brasil um ano antes de morrer ele até disputou uma pelada com ninguém menos que Chico Buarque.

Ele é adorado, literalmente || Créditos: Getty Images

“São Marley, o Protetor”

Dizer que é Marley é um deus não é um exagero. Considerado um dos “pais” da cultura Rastafari, o cantor é considerado como uma divindade protetora na Etiópia, país onde o rastafarianismo ganhou status de religião durante o reinado do imperador Haile Selassie I (também conhecido como Rás Tafari), e atualmente conta com algo entre 700 mil e um milhão de seguidores fiéis.