23.10.2018  /  14:15

Blackjack, filas de selfie e escambo: as peripécias de Ai Weiwei no almoço chez Bia Yunes Guarita

Cliques do almoço chez Bia Yunes Guarita para Ai Weiwei, em São Paulo || Créditos: Glamurama

O fim de semana que passou foi um dos mais animados do ano. No sábado, Glamurama marcou presença no almoço chez Bia Yunes Guarita, uma das melhores anfitriãs de São Paulo, em homenagem a Ai Weiwei. Tudo isso no dia em que o artista chinês abria na Oca, no Parque Ibirapuera, “Ai Weiwei Raiz”, a maior mostra já criada por ele. Uma tarde única que reuniu a turma artsy e que foi marcada por peripécias do artista, filas para selfie, menu bem brasileiro e carteado. Aos melhores momentos!

Cartas na mesa!

Um dos pedidos feitos por Ai Weiwei nessa vinda especial ao Brasil – ao longo do ano foram cinco para a montagem da exposição -, foi jogar Blackjack com seus novos amigos brasileiros. E a solicitação foi devidamente atendida. Em uma das salas do château de Bia, no Jardim Europa, foram montadas duas mesas de carteado, acompanhadas de crupiês profissionais. O artista passou o tempo todo por lá! Quem quisesse chegar o mais perto ou trocar uma ideia com ele, teria que saber jogar.

Brasilidades

Brigadeiro de colher com pipoca, doce de leite e doce de abóbora , e os sousplats artsys do almoço || Créditos: Glamurama

O único momento em que o artista parou o Blackjack foi no almoço. O menu composto exclusivamente por comidas típicas brasileiras, da caipira à baiana, foi devidamente traduzido para que ele e a família pudessem compreender. No delicioso banquete, pratos como frango no tucupi com jambu, moqueca de banana, vaca atolada com mandioca – a escolha de Ai Weiwei -, cuscuz, salada de grãos e muita, mas muita farofa. De sobremesa, uma mesa extensa com todos os tipos de doces brasileiros que se possa imaginar: doce de coco e de abóbora, frutas, doce de leite embalados na palha de milho, bolo de rolo e muito brigadeiro, inclusive uma versão de colher com pipocas – a combinação favorita de Ai Weiwei em solo brasileiro. Detalhes cool: o bar de caipirinhas e drinks foi montado sobre caixas de madeira que transportam telas e esculturas, com etiquetas de “frágil” e indicadores das obras, e os sousplats contavam a história do Brasil com impressões de telas que retratam o período colonial.

O bar de drinks e caipirinhas, montado sobre caixas de obras de arte || Créditos: Glamurama

Fila de selfie 

Ai Weiwei com Camila Yunes Guarita, Marina Saurin e Carmo Yunes Guarita e o artista com o curador Marcello Dantas || Créditos: Reprodução Instagram

Os pedidos de autógrafos foram substituídos pela fila de selfies há algum tempo no mundo das celebs, e Ai Weiwei é uma figura peculiar que se diverte com esse movimento. Um dos nomes mais icônicos da arte contemporânea, não tem quem não se coce para pedir uma foto com o artista. Quando alguém se aproxima, ele já se apossa do celular e faz a selfie, com direito a sorriso e tudo. Pequenas filas se formaram pontualmente ao longo do almoço para garantir o registro. Facilmente ele fez mais de 50 só naquele dia… Ufa!

 Escambo

Ai Weiwei com sua camiseta, e com a camisa trocada com Paulo Petrarca durante o almoço || Créditos: Glamurama

Ai Weiwei adorou uma peça de roupa do amigo brasileiro, Paulo Petrarca, que é inclusive um dos patrocinadores da mostra. A uma camisa de linho da Richards cor de rosa foi oferecida por Paulo ao artista, e os dois trocaram ali mesmo, em frente aos convidados. Paulo passou o resto do almoço com a t-shirt de manga comprida de algodão de Ai Weiwei, e o chinês com a camisa do amigo, todo fresh! Único porém é que a peça ficou um pouco apertada para o artista que repetiu algumas vezes “it’s too small” (“está muito pequena”), no maior bom humor.

Atmosfera

Convidados reunidos no jardim interno do château de Bia Yunes Guarita || Créditos: Glamurama

O almoço reuniu cerca de 200 convidados. Para aproveitar o dia ensolarado que fez em São Paulo, o espaço ocupado pela maior parte dos convidados foi o jardim interno da casa. Todos ficaram por ali com seus drinks, óculos de sol e looks com ótimos toques artsy. O filho e a mulher de Ai Weiwei, que também marcaram presença, preferiram não se misturar com os demais convidados e se “refugiaram” em uma mesa mais afastada. Estiveram por lá também Daniel Rosler, que está morando em Nova York, Ana Serra, Mariana Berenguer, Marcello Dantas, curador da mostra, Camila Yunes e muito mais. Ótimos papos e contemplação das obras de arte da coleção da família que compõem o décor do château e deram o tom do almoço. No som ambiente, apenas músicas brasileiras.