28.01.2019  /  7:50

Bilionário que comprou a casa mais cara dos EUA na semana passada repetiu o feito em Londres

A townhouse de Griffin em Londres: vizinho da rainha || Créditos: Getty Images/Reprodução

Dias depois de pagar perto de US$ 240 milhões (R$ 905,3 milhões) por um apartamento de quatro andares no número 220 da Central Park South, em Nova York, o mega-investidor americano Ken Griffin voltou a agitar o mercado global das propriedades residenciais de alto luxo. E dessa vez em Londres, onde fica a mais nova casa dele: uma townhouse de seis andares localizada nos arredores do Palácio de Buckingham, a residência oficial da rainha Elizabeth II, pela qual desembolsou outros US$ 122 milhões (R$ 460,2 milhões) na última sexta-feira.

Assim como a compra na Big Apple, que entrou para a história como a mais cara em se tratando de um imóvel residencial até hoje comercializado nos Estados Unidos, a da capital inglesa também está bem acima de todos os negócios do tipo já realizados por lá. Griffin é o fundador da empresa de investimentos americana Citadel, que só não quebrou na crise bancária de 2008 nos EUA porque foi socorrida pelo banco central do país, e tem uma fortuna estimada em US$ 10 bilhões (R$ 37,7 bilhões).

Não é de hoje que o bilionário sai às compras em busca dos melhores imóveis, tanto que no ano passado ele arrematou uma cobertura em Miami por US$ 60 milhões (R$ 226,3 milhões), e mais tarde a colocou à venda por US$ 72 milhões (R$ 271,6 milhões). Anos antes, em 2009, Griffin já havia causado em NY quando aceitou pagar US$ 40 milhões (R$ 150,9 milhões) por um apartamento no número 820 da Quinta Avenida, no mesmo prédio onde moram vários poderosos. Nesse último caso a vendedora foi a bilionária brasileira Lily Safra, outra que não economiza quando o assunto é morar bem. (Por Anderson Antunes)