22.01.2018  /  15:23

Bilhões de dólares e dois corpos: suposto duplo suicídio de casal canadense intriga o país

Honey e Barry Sherman || Créditos: Getty Images

Mistério no ‘grand monde’ canadense: a trágica morte do casal Honey e Barry Sherman em dezembro, dias antes do Natal – os corpos foram encontrados na mansão onde eles moravam, em Toronto, no que a princípio foi classificado como um duplo suicídio pela polícia de lá -, pode ter sido criminosa, de acordo com um uma investigação feita por detetives particulares contratados pelos filhos deles que já está sendo analisada com lupa pelas autoridades responsáveis pelo caso.

Um dos homens mais ricos do Canadá, Barry fundou a gigante de medicamentos genéricos Apotex a partir de um negócio de fundo de quintal que comprou do tio no começo dos anos 1970, com dinheiro que pegou emprestado da mãe. Hoje, presente em 115 países e com receitas anuais de US$ 1,5 bilhão (R$ 4,81 bilhões), a empresa é uma das maiores do Canadá no segmento de saúde e fez dele um dos empresários mais famosos de lá.

Dono de uma fortuna estimada em US$ 3 bilhões (R$ 9,6 bilhões) quando morreu, Barry lidava com problemas financeiros pessoais, o que chegou a ser citado como a razão por trás do suposto suicídio dele e da mulher. Mas os quatro filhos nunca aceitaram essa versão e por isso decidiram ir atrás da verdade por meios próprios.

Os investigadores que contrataram, entre os quais ex-policiais canadenses, analisaram as fotos dos últimos momentos de Honey e Barry e identificaram vários fatores que apontam para um possível duplo assassinato. Entre outras coisas, haviam marcas nos pulsos de ambos, uma indicação de que eles foram amarrados. Honey também tinha hematomas no rosto e no nariz, um sinal de que pode ter lutado com os supostos assassinos.

O que ninguém sabe ainda é quem teria cometido o crime, embora existam alguns suspeitos desde já, como os autores dos inúmeros processos multimilionários abertos contra a Apotex no último ano, por questões relativas a direitos do consumidor, e os políticos que pediram para investigar a empresa e seu fundador por suspeitas de violação das leis de lobby canadenses, no que foi visto por muitos como uma tentativa de intimidar Barry. (Por Anderson Antunes)