16.03.2020  /  11:54

Bancos dos EUA estão sem notas de US$ 100 por causa dos saques em massa

Americanos querem dinheiro na mão para o caso de um apocalipse || Créditos: Reprodução

Um correntista do JP Morgan Chase tentou sacar US$ 30 mil (R$ 148,6 mil) no fim da semana passada em uma agência do banco que fica nos Hamptons, o hotspot favorito dos ricos no estado de Nova York, e ouviu um sonoro “NÃO!” da caixa que o atendeu. Assim como vários bancos dos Estados Unidos, o Chase (que é um dos maiores do país), tem limitado os valores para saques para o máximo de US$ 10 mil (R$ 49,5 mil) por dia. Tudo por causa do alerta geral causado pelo novo coronavírus, que tem feito com que os americanos guardem dinheiro em casa.

O que ninguém esperava é que o tal correntista do Chase causaria tanto barulho diante da negativa. O resultado? Várias agências bancárias dos Hamptons agora estão repletas de correntistas como ele, todos em busca de suas verdinhas, o que resultou em uma escassez de notas de US$ 100 (R$ 495,20). Há, inclusive, relatos de gente que quis levar pra casa somas milionárias e, claro, ficou a ver navios.

E o pânico deve continuar por muitos dias ainda, já que Wall Street começou a semana com quedas expressivas diante da possibilidade cada vez maior de uma recessão global causada pela pandemia de Covid-19. Nem o anúncio de corte de juros extraordinário para cerca de zero feito nesse domingo pelo Federal Reserve, o Banco Central americano, parece ter servido para acalmar os ânimos dos investidores, que a essa altura já se preparam para o pior cenário financeiro. Salve-se quem puder! (Por Anderson Antunes)