31.08.2019  /  9:00

Atenção mamães! Nutricionista ensina como ter uma gravidez saudável só cuidando da alimentação

As grávidas Anne Heathaway, Tatá Werneck, Laura Neiva e Letícia Colin // Reprodução Instagram

O que Anne Hathaway, Letícia Colin, Tatá Werneck e Laura Neiva têm em comum? Além de ótimas atrizes elas estão gravidíssimas. E entre os inúmeros cuidados que as futuras mamães têm que tomar durante a gestação, a alimentação está entre os mais importantes. Nutrientes necessários para cada etapa da gestação são fundamentais para o bem-estar da mãe e do bebê.

Além da questão do peso, que tem que estar dentro do considerado ideal – já que a gordura pode atrapalhar o processo hormonal -, deve-se ficar atenta ao consumo de álcool, que, segundo a nutricionista Tatiana Rom do Vida – Centro de Fertilidade, precisa ser eliminado inclusive por quem deseja engravidar. “O álcool e o cigarro diminuem a qualidade do espermatozóide e do óvulo”, explica. Anote as dicas abaixo:

Geral

Evite alimentos industrializados!
“Mantenha uma alimentação mais natural possível. Vá menos ao supermercado e mais à feira! Alimentos orgânicos – frutas, legumes – são uma ótima opção. Uma alimentação saudável faz toda diferença na qualidade do embrião que está sendo gerado”.

Intestino, nosso segundo cérebro – cuide bem dele
“Não está relacionado apenas a ir ao banheiro regularmente. O intestino é responsável por nossa saúde imunológica e pela absorção de todos os nutrientes. Uma alimentação rica em industrializados prejudica o processo metabólico dos nutrientes. Uma flora bacteriana saudável é fundamental para que esses nutrientes sejam absorvidos da forma adequada”.

Primeiro trimestre
– Nutriente das grávidas – O ácido fólico é muito falado quando se trata de gestação. E no primeiro trimestre, em especial, fase na qual o sistema nervoso do feto é formado, essa vitamina (B9) desempenha papel fundamental. Abusem em alimentos que sejam ricos em ácido fólico como vegetais verdes-escuros (espinafre, couve, brócolis, escarola), grãos (feijão, grão-de-bico e lentilha) , castanhas, sementes e frutas cítricas.

– Protein Power – este macronutriente é muito importante tanto para a mãe – a demanda aumenta devido ao crescimento das mamas e do útero -, como para o bebê – os aminoácidos são unidades formadoras das proteínas, essenciais para o desenvolvimento das células do feto.

– Xô anemia! Ferro no prato! – O ideal é a ingestão de cerca de 30 mg de ferro por dia. É comum grávidas desenvolverem anemia ferropriva – tipo de anemia decorrente da privação de ferro – no início do segundo trimestre. Invista em alimentos como feijão, grãos integrais, carne vermelha, ovo e lentilha.

Segundo trimestre:
– Vitaminada! – A nutricionista Tatiana Rom destaca para essa fase a Vitamina D – que encontramos naquele solzinho da manhã – a Vitamina E – presente no azeite, abacate e óleos de boa qualidade – e a Vitamina C. O Zinco também é fundamental para saúde do espermatozoide e do óvulo – encontrado principalmente em frutos do mar. “Selênio, encontrado na castanha do Pará, também é uma ótima opção”.

– Fibras … controle do diabetes e glicose! – São dois tipos de fibras : as solúveis e as insolúveis. Onde encontra-las? na aveia, ervilha, cevada e frutas como a maçã; no trigo, farelos, nozes e cereais. O segundo grupo é um grande aliado no combate à prisão de ventre.

– Sempre hidratada – A água possui inúmeras funções, como o transporte de nutrientes, lubrificação o trato digestivo, regulação da temperatura do corpo, além de envolver e proteger o feto. O ideal é ingerir pelo menos 2 litros por dia. Evite cafeína, presente no café, chá preto, mate e refrigerantes.

Terceiro Trimestre
– Não se esqueça dos minerais – Em especial Cálcio e Ferro. Há uma demanda maior por parte do bebê, o que pode interferir nas reservas da mãe. No caso do Ferro, o consumo de alimentos ricos em Vitamina C na mesma refeição ajudam na absorção – então consuma laranja, limão, acerola, entre outras frutas ricas neste nutriente. Atenção: Ferro e Cálcio não devem ser consumidos ao mesmo tempo, porque um interfere na absorção do outro. Então o indicado é consumi-los em momentos diferentes.

– Gorduras do bem – Invista em alimentos ricos em Ômega 3, importantes para o desenvolvimento do cérebro e da visão do bebê, além de serem importantes no transporte de vitaminas como A, D, K e E. Na hora das compras, não se esqueça de peixes como salmão, sardinha e atum, abacate e nozes. Evite as gorduras saturadas, que aumentam o colesterol e estão presentes na manteiga e creme de leite, por exemplo.

– Muita energia – Por ser uma fase cansativa, a dieta precisa de um maior volume de carboidratos complexos, que garantem mais disposição. Exemplos: pão, arroz e massas (integrais), e cereais. Eles ajudam a manter o pique e equilibrar os níveis de açúcar no sangue. E, de quebra, ainda são ótimos para combater a prisão de ventre, bastante comum nesta fase.