08.11.2018  /  16:21

As peripécias de Freddie Mercury que não aparecem no filme “Bohemian Rapsody”

Freddie Mercury em ação // Reprodução Instagram

Desde que ‘Bohemian Rapsody’ estreou nos cinemas ao redor do mundo, a vida de Freddie Mercury se tornou o assunto de todas as rodas, 27 anos depois de sua morte, em 1991. Todos querem saber mais sobre o vocalista do Queen, uma das maiores bandas do planeta. E que tal falar de algumas curiosidades mais ‘picantes’ sobre o rockstar que não aparecem no filme? Ferveção em boates com a princesa Diana? Sim, temos. Freddie provocando Sid Vicious do Sex Pistols? Também. Ou pegando carona nos ombros de Darth Vader? Essas são apenas algumas das peripécias selvagens e maravilhosas que Freddie Mercury aprontou no auge da fama.

A rainha e a princesa
Entre as histórias mais lendárias de Mercury está a vez em que ele foi a uma boate com a princesa Diana. O cantor estava com uma turma de amigos em casa bebendo champanhe e assistindo TV, quando resolveram se jogar na night. Diana apareceu e, animadíssima, quis acompanhar Freddie e cia.  Embora eles tentassem convencê-la do contrário, por conta dos paparazzi que não iam deixá-la em paz, Diana não deu ouvidos. Então Freddie providenciou um disfarce para a princesa – jaqueta militar, boné e óculos escuros – e lá se foram para o Royal Vauxhall Tavern, bar gay no sul de Londres. E não é que Diana passou despercebida? Ferveu sem ser incomodada. Já o exuberante Freddie Mercury causou e roubou todas as atenções.

Provocando Sid Vicious
Freddie Mercury não era de se meter em encrenca, mas abriu uma exceção para Sid Vicious. Era 1977, e o Queen e os Sex Pistols, duas bandas antagônicas, estavam trabalhando no Wessex Sound Studios, no norte de Londres. O Queen produzia o álbum ‘News of the World’, enquanto os Pistols preparavam o antológico ‘Never Mind the Bollocks’.

Brian May, guitarrista do Queen, contou que Vicious e Mercury se encontraram por acaso nos corredores do estúdio. O baixista do Pistols logo disparou: “Você é Freddie Mercury, não é? Você está trazendo balé para as massas”. Mercury não deixou barato: “Eu o chamei de Simon Ferocious ou algo assim, e ele não gostou nada”, contou ele em uma entrevista na década de 80. O rockstar seguiu tirando sarro dos arranhões no corpo de Vicious, que acabou desistindo do embate: “Ele odiava o fato de que eu podia falar assim”, disse Mercury. “Acho que sobrevivemos ao teste.”

Lhama X cocaína
Em 1983, Mercury e Michael Jackson tinham planos de gravar um álbum de duetos. Foi uma ideia perfeita, a união poderosa da Rainha com o Rei do Pop. Três faixas já haviam sido escritas, mas as sessões de estúdio acabaram não dando certo. Por que? Porque Jackson levou sua lhama de estimação para o estúdio. De acordo com o ex-empresário do Queen, Jim Beach, o roqueiro ligou para ele e perguntou: “Você pode me tirar daqui, estou gravando com uma lhama!” Por outro lado, Jackson também tinha suas reclamações. Ele não curtia o hábito de cheirar cocaína do vocalista do Queen e eles acabaram se desentendendo.

 

Freddie Mercury provocando Guerra nas Estrelas // Reprodução

Guerra das Estrelas?
Na música “Bicycle Race”, de 1978, Mercury critica filmes que estavam em alta na época: “Jaws nunca foi minha cena / E eu não gosto de Star Wars”. O que era verdade, na real! Durante os shows em 1979 e 1980, o cantor adicionou uma encenação aos shows do Queen para reforçar isso: ele entrava no palco nos ombros de um homem vestido com uma fantasia de Darth Vader (embora às vezes fosse de Superman).