11.10.2017  /  16:04

Antonia Frering desabafa sobre câncer e polêmica arte x religião

Antonia Frering || Créditos: Juliana Rezende

Antonia Frering reuniu a família e os amigos na noite dessa terça-feira em um cocktail no clube privé Hippo, em Ipanema, para comemorar o lançamento de seu programa no YouTube. Glamurama foi até lá e conversou com a atriz – sempre tão discreta – sobre a decisão de abrir o coração para os espectadores. “A hora é quando a vida te mostra que está na hora. Foi uma escolha, a gente tem que se abrir para o universo para que essas coisas aconteçam. E YouTube é pra onde todo mundo está indo, então é onde eu quero estar, o que não quer dizer que eu não trabalhe em outras plataformas, como atriz… Estou em uma minissérie na TV Cultura e acabei de fazer uma participação na novela ‘Tempo de Amar’. Espero que minha personagem ainda volte… Esse programa tem cinco minutos, mas não é uma coisa que você faz rapidinho. Espero melhorar como apresentadora, cada vez mais, ficar mais à vontade, menos travada. Estou aprendendo, engatinhando”.

“E a gente costuma se aborrecer justamente por supérfluo…”

O assunto da primeira edição foi logo o câncer de mama que ela superou. “Outubro é o mês da campanha contra o câncer de mama e eu já passei por isso, não poderia deixar de falar. Foi difícil. Mas minha intenção foi ter a oportunidade de ajudar alguém na mesma situação. Se eu conseguir fazer isso com uma pessoa, já valeu a pena”. Qual foi a principal mudança que ter passado por essa doença trouxe? “Os pesos e valores mudaram completamente. Hoje muito pouca coisa importa e é tudo mais simples do que parece. Passei a focar só no que vale a pena, o resto é supérfluo. E a gente costuma se aborrecer justamente por supérfluo…”

“A gente dá, e tem horas que a gente precisa receber. Tenham essa humildade”

No programa, Antonia conta: “Não tenho palavras pra dizer o susto que foi ir buscar o resultado dos exames com meu marido e minha filha e descobrir que estava com câncer. Você precisa da sua família. A gente dá, e tem horas que a gente precisa receber. Tenham essa humildade. A fé também me ajudou muito a passar por quimio e radioterapia. Na época, eu queria muito fazer a novela ‘Salve Jorge’, da Gloria Perez, então fiz o tratamento em quatro meses, e não em seis. Se você tiver uma meta, não desista dela. Tenha garra. Mandei fazer uma peruca igual ao meu cabelo e em casa eu ficava de turbante. Eu estava me sentindo uma formiga sem cabelo, sem cílios. É difícil. Meu marido foi essencial”, revelou a atriz, que mostrou no vídeo uma fábrica de perucas que faz doações pra quem precisa.

“Não posso esperar que todas as pessoas sejam católicas”

Outro assunto que ela ainda vai tratar: religiosidade. “E besteiras sobre como fazer uma mala, montar uma mesa. Sou uma pessoa que está em todos os quadrados e acho que esse programa vai mostrar um pouco isso”. Sobre fé, Antonia, filha da famosa socialite carioca Carmen Mayrink Veiga, conhecida também por sua devoção ao catolicismo, disse: “Eu sou a mais religiosa da família. Por quê? Não sei”. E cantarolou… “Eu nasci assim, eu cresci assim”. “Tenho milhares de histórias e Nossa Senhora muito perto de mim. Não posso esperar que todas as pessoas sejam católicas, mas falo de religiosidade em geral”.

“Longe de mim querer impor qualquer coisa, mas meu lugar é do lado de Jesus”

Como é para uma artista ser religiosa em tempos de polarização entre arte versus religião e conservadorismo em polêmicas como sexualidade em exposições nos museus? “Estou muito à vontade com minha religião. Sou católica e tenho um canal direto com Deus. Cada um se coloca no lugar que quiser, o meu está bom pra mim. Longe de mim querer impor qualquer coisa, mas meu lugar é do lado de Jesus, Nossa Senhora… E da minha família, claro. No programa, vocês vão ver Dom Orani Tempesta [cardeal] falar sobre esse assunto. Só não vou contar agora pra não estragar tudo”.  (por Michelle Licory)