20.06.2017  /  10:43

Aniversariante do dia, Nicole Kidman chega aos 50 anos mais em alta do que nunca

Nicole Kidman
Nicole Kidman || Créditos: Getty Images

Nicole Kidman completa 50 primaveras nesta terça-feira vivendo um dos melhores momentos de sua carreira, apesar da idade “avançada” para os padrões de Hollywood. Mas isso não aconteceu por acaso: decidida a se manter na ativa, a atriz trabalha desde 2015 em um revival profissional pelo qual abriu mão de certas vaidades comuns a estrelas como ela, como a exigência de interpretar somente personagens jovens na telona, e até aceitou um papel na televisão, algo que era visto como um passo atrás para atores de cinema consagrados em outras épocas.

Glamurama mostra a seguir quatro grandes escolhas dela em seu esforço para provar que a idade é apenas um número, e que também evidenciam que na indústria americana de entretenimento só sobrevivem aqueles que encaram as mudanças como algo positivo. Confira:

Nicole em cena de "Paragraph 51"
Nicole em cena de “Paragraph 51” || Créditos: Divulgação

Retorno às origens

Protagonista de filmes cujas bilheterias somadas superam os US$ 3,7 bilhões (R$ 12,2 bilhões), Nicole surpreendeu muita gente em 2015 quando anunciou seu retorno aos palcos depois de 15 anos na peça “Photograph 51”, de Anna Ziegler, baseada na vida da cientista britânica Rosalind Franklin. Tendo como palco o Noël Coward Theatre de Londres, o trabalho foi um sucesso de público e de crítica, e voltou a despertar o interesse dos críticos especializados na atriz, na época vista por eles apenas como mais um rosto bonito hollywoodiano em fase de decadência. A atuação também rendeu a ela vários prêmios e uma indicação ao Laurence Olivier Award, a mais importante premiação de cinema da Inglaterra, como Melhor Atriz, em 2016.

Nicole no filme "Lion", indicado a 6 Oscars
Nicole no filme “Lion”, indicado a 6 Oscars || Créditos: Divulgação

Menos é mais

Outra decisão importante de Nicole nos últimos anos foi aceitar o papel de coadjuvante em “Lion”, filme do diretor Garth Davis estrelado por Dav Patel que recebeu seis indicações ao Oscar de 2016, inclusive Melhor Atriz Coadjuvante. A produção independente, com orçamento modesto, rendeu a ela meros US$ 300 mil ((R$ 990 mil), cifra bem distante dos US$ 15 milhões (R$ 49,5 milhões) por filme que costumava faturar nos anos 2000. Mas o maior retorno, mais uma vez, foi a boa aceitação da imprensa especializada e do público, sem contar as inúmeras aparições dela no tapete vermelho durante a penúltima temporada de premiações, algo que também fez a alegria da indústria da moda, que a adora.

A atriz em "Big Little Lies", série da HBO
A atriz em “Big Little Lies”, série da HBO || Créditos: Getty Images

Seguindo tendência

Já o retorno à TV foi por meio da minissérie “Big Little Lies”, exibida pela HBO e da qual Nicole também é produtora executiva. Baseada no best-seller de mesmo nome da escritora Liane Moriarty, a produção foi considerada uma das melhores apostas da rede americana neste ano e registrou ótimos índices de audiência, tanto que uma segunda temporada já está em discussão. Nesse caso é bom lembrar que a televisão não é mais vista como um meio menos importante que o cinema em Hollywood, basta dizer que muitos dos atores que estrelam os filmes de maior bilheteria hoje em dia também fazem sucesso na telinha.

Nicole e a Rainha Atlanta, de "Aquaman"
Nicole e a Rainha Atlanta, de “Aquaman” || Créditos: Getty Images/Reprodução

Arrasa-quarteirão

Com a carreira reaquecida, só faltava mesmo uma superprodução para colocá-la de volta no time dos bambambãs do showbiz americano. O problema foi solucionado quando Nicole aceitou o papel da Rainha Atlanta em “Aquaman”, um dos filmes mais comentados em Hollywood atualmente, que chega aos cinemas em dezembro de 2018. A atriz topou sem maiores contratempos interpretar a mãe do personagem título, que será vivido pelo ator Jason Momoa, de 37 anos. Com direção de James Wan, especialista em filmes feitos sob medida para adolescentes, “Aquaman” vai custar mais de US$ 160 milhões (R$ 528 milhões) e deverá colocar Nicole em contato direto com adolescentes do mundo inteiro que, caso aprovem a performance dela, terão papel fundamental para mantê-la em evidência por mais alguns anos. (Por Anderson Antunes)