23.03.2019  /  10:45

Amizade “colorida” entre Astrid Fontenelle e Neza Cesar resultou em um lar technicolor. Aos detalhes!

O lar de Astrid Fontenelle por Neza Cesar || Créditos: Arquivo Pessoal

Da amizade de longa data entre a apresentadora Astrid Fontenelle e a designer de interiores Neza Cesar veio a parceria na construção de uma casa com cara de lar. O resultado? Uma profusão de cores, como a vida deve ser

Da Revista Joyce Pascowitch de março por Thayana Nunes

Astrid para Neza: “Conheço Neza há muito anos, andávamos na mesma turma, sempre se cruzando nessa vida social paulistana. A reencontrei há pouco tempo em um desses bazares moderninhos. Tenho uma varanda e estava querendo mudar e acabei ganhando outro apartamento do lado de fora de casa. Depois mudamos outros ambientes. Eu e Neza temos uma afinidade muito grande e somos maximalistas, e minha casa é um reflexo de quem eu sou. Gosto de muita coisa, arte, móveis, plantas. A gente nunca ia imaginar que laranja com lilás na parede fossem combinar. O trabalho de Neza é sofisticado e cor para mim é alegria. E eu tenho o chip da felicidade, né?”

Astrid e Neza, uma amizade colorida, literalmente || Créditos: Arquivo Pessoal

Neza para Astrid: “Demorou para o reencontro, mas a nossa amizade é aquela coisa que bateu de alma, sabe? Depois de tanto tempo, éramos uma nova Neza, uma nova Astrid. E quando você faz a casa de uma pessoa, você entra na vida dela. Eu falava que estava faltando mais cor, tipo um lilás com laranja. Um laranja orgânico, que vibra luz, porque ela é uma pessoa de muita luz. A decoração toda levou um ano para ficar pronta, porque vai germinando aos poucos, e uma das mudanças foi a reorganização das obras de arte e quadros. Só uma que ela não gostou: queria a foto do Chico Buarque com ela em uma sala, onde gostava de sentar e olhar nos olhos dele. Já a gente propôs colocá-la em cima da lareira, no centro da sala. Deu certo. Foi uma casa feita com alto nível espiritual e ela amou essa ideia de reutilizar os próprios móveis. Gosto de aproveitar as coisas das pessoas, porque eu sei que tudo tem uma história.”