24.02.2020  /  10:19

Além da rainha, membros de entidades britânicas também cogitam dar um “castigo” em Meghan Markle e Harry

Meghan Markle e o príncipe Harry || Créditos: Reprodução

Meghan Markle e o príncipe Harry, que não faz muito tempo rendiam notícia por causa de seus respectivos títulos reais, agora são assunto pelas coisas mais mundanas, ao exemplo das marcas registradas que tentam a todo custo chamar de suas. Como Glamurama contou na semana passada, a rainha Elizabeth II já mandou avisar a duquesa e o duque de Sussex que eles estão proibidíssimos de fazer qualquer uso comercial da expressão “Sussex Royal”, que designa o pariato que a monarca lhes concedeu na ocasião de sua subida ao altar. Decepcionados, o ex-casal real estaria até cogitando contra-atacar a chefe da Casa Real de Windsor com uma ação judicial na qual tentaria provar que a palavra “royal” não a pertence, algo totalmente sem precedentes, diga-se de passagem, só pra se ter uma ideia do tamanho da mais nova confusão nessa agitada vida de plebeus deles.

Como se não bastasse isso, parece que os dois pediram para a personal stylist Jessica Mulroney, bff de Markle, que ela registrasse em seu nome o domínio sussexglobalcharities.com, o que a fashionista fez na última quarta-feira, de acordo com o “Daily Mail”. Trata-se de um “jeitinho” nada básico que não combina nem um pouco com a rigidez burocrática da monarquia mais famosa do mundo e pode, claro, render aos Sussexes algumas dores de cabeça no futuro. Mas os problemas não param por aí…

Membros da Invictus Games Foundation, uma fundação filantrópica que o próprio Harry fundou em 2014 para ajudar soldados britânicos que se feriram gravemente na Guerra do Afeganistão, cogitam removê-lo do posto de patrono da entidade. O motivo? A turma anda se sentindo meio órfã desde a mudança do sexto na linha de sucessão ao trono do Reino Unido para o Canadá, anunciada em janeiro. E Markle, aliás, corre o risco de sofrer um revés bem parecido. Patrona do Royal National Theatre, uma das três companhias de teatro mais importantes nas terras britânicas, a ex-atriz também está perto de perder a posição que a própria rainha manteve por mais de 45 anos até janeiro de 2019, quando transferiu a honraria para a neta postiça, pelo mesmíssimo motivo: a plebe artística não se sente mais prestigiada por sua maior representante. Aguardem os próximos capítulos… (Por Anderson Antunes)