13.02.2020  /  17:45

Afropunk estreia no Carnaval de Salvador a bordo do Navio Pirata do BaianaSystem e com a participação de Mano Brown

Trio Afropunk com Afrocidade, Mano Brown e BaianaSystem // Reprodução

Uma atração inédita promete fazer tremer – ainda mais – o circuito Barra-Ondina nesse Carnaval em Salvador. O Afropunk armou uma parceria com a turma do BaianaSystem que não vai deixar pedra sobre pedra. No sábado (22), o icônico trio utilizado pelo BaianaSystem, conhecido como “Navio Pirata”, se transforma no trio Afropunk e será comandado pelo grupo Afrocidade, que canta as lutas e a resistência do povo negro. “Pela primeira vez iremos puxar um trio no carnaval de Salvador. Ter a oportunidade de dar continuidade a esse trabalho e evidenciar a música percussiva afro-baiana dentro carnaval, é muito potente e gratificante para gente.”, comemoram os integrantes do Afrocidade.

No primeiro dia, o trio será palco de um encontro inédito, entre o Afrocidade e o rapper paulista Mano Brown. Afrocidade recebe ainda BaianaSystem com Russo Passapusso (vocalista) e Roberto Barreto (guitarra baiana), e outras potências da música baiana como a MC Cronista do Morro e Muzenza.

Já no domingo (23), acontece a tradicional saída do Baiana com as participações especialíssimas de BNegão, Vandal e a cantora do Ilê Aiyê, Iracema Killiane.

Esta primeira ação do Afropunk- maior festival de cultura negra do mundo – no Carnaval da Bahia tem patrocínio do Governo do Estado e marca a contagem regressiva para a edição do Afropunk na capital baiana nos dias 28 e 29 de novembro, no novíssimo Centro de Convenções de Salvador. Matthew Morgan, co-fundador do Afropunk, explica a escolha dessa primeira ação aberta ao público do festival: “Ano passado estive pela primeira vez no Carnaval de Salvador e senti uma conexão tão forte que não podíamos deixar de estar presentes nesta manifestação tão importante da cultura afro-brasileira. A Bahia me impactou à primeira vista e estamos muito ansiosos para a edição do Festival por lá. Será um momento marcante na nossa história.”