Adriana Vilarinho e Marcos Proença falam sobre saúde e beleza na pandemia: “Temos que nos ocupar e também nos cuidar”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
0

A live desta terça-feira foi em dose dupla! Joyce Pascowitch conversou com Adriana Vilarinho e Marcos Proença sobre saúde e beleza em tempos adversos. De um lado, a dermatologista graduada em Medicina e Residência Médica em Dermatologia pela Faculdade de Medicina do ABC. Adriana é autora do livro “Beleza à Flor da Pele”, atua há mais de 20 anos e sua clínica, que tem cinco unidades em  São Paulo, é das mais concorridas.  Do outro, o cabeleireiro que inaugurou seu primeiro salão em 2010, no Jardim Paulistano, e atualmente possui duas unidades na cidade. Um dos queridinhos das bem-nascidas da capital paulista, já cuidou das madeixas de Gisele Bundchen e Naomi Campbell, entre outras celebs.

O papo rolou em torno da importância da beleza mesmo em meio à pandemia: “O que a gente percebeu neste um ano de pandemia é que as pessoas estão cuidado mais de si mesmas, a rotina de skincare chegou a aumentar 40%. Com o home office,  aquelas duas horas que se perdia no trânsito, tem sido gastas com atividade física e com a beleza. Nessa nova onda as pessoas estão preocupadas em estar bem”, comentou a médica, que foi complementada por Marcos: “Aconteceu um movimento em que as pessoas passaram a ter mais tempo para elas mesmas. Antes estavam muito ocupadas, era tudo para fora. A pandemia foi um convite a ficarmos conosco mesmos e com nossa família. As mulheres descobriram seus cabelos ondulados, crespos, algumas deixaram o cabelo branco…”

Alguns problemas ligados diretamente ao estresse e à Covid-19 também surgiram nesse período: “A queixa número 1 da pandemia foi a queda do cabelo, causada primeiro pelo estresse e ansiedade. O pós-Covid também dá uma queda impressionante. Dois meses depois é como se caísse 70% do cabelo. As pessoas entram em pânico. O problema melhora com o tempo, mas como a queda é intensa, assusta. Quando você tem um grande estresse o organismo poupa os órgãos internos  e a parte periférica fica ‘abandonada’, a pele resseca muito, aparecem acnes, as unhas ficam quebradiças… e o cabelo cai mais”.

Proença falou do papel da beleza nesses tempos e como é importante mudar o foco por alguns momentos no dia, e dar atenção a nós mesmos: “O grande desafio nesse momento é se distrair (…) Temos que nos ocupar e também nos cuidar (…) Talvez a beleza não salve vidas, mas se deixar mais leve, porque não, né? “. Confira a conversa na íntegra abaixo: