10.05.2021  /  13:04

Administradores do espólio de Michael Jackson levam a melhor em disputa milionária com o fisco americano

Michael Jackson
Michael Jackson || Créditos: Reprodução

Uma batalha judicial entre o fisco dos Estados Unidos e os administradores do espólio de Michael Jackson, que já durava sete anos, terminou na semana passada com vantagem para o lado do cantor morto em 2009. É que o leão americano os acusava de terem pago impostos sobre a imagem de Jackson, na ocasião da partida inesperada dele há quase 12 anos, dando a esta um valor abaixo do real.

Para os cobradores da bolada, apenas a marca do eterno rei do pop valia US$ 161 milhões (R$ 842,7 milhões) quando ele morreu, mas os Jacksons afirmavam que a cifra real sempre foi US$ 2.105 (R$ 11 mil), lembrando que o intérprete de “Thriller” estava praticamente quebrado àquela altura.

No fim, as partes fizeram um acordo e ficou combinado que o verdadeiro valor da marca Michael Jackson na ocasião de sua morte era US$ 4 milhões (R$ 20,9 milhões) – bem acima dos US$ 2.105 citados mas também consideravelmente abaixo dos milhões cobrados pelo governo dos EUA.

A decisão que garantirá uma mordida bem menor, no entanto, não se aplica ao montante que Jackson passou a valer no post mortem: algo em torno de US$ 1,3 bilhão (R$ 6,8 bilhões), e mais do que qualquer cifra atribuída a qualquer outro famoso que já tenha partido dessa para uma melhor até hoje. (Por Anderson Antunes)