06.03.2020  /  13:17

Bye Bye boa vida: 5 privilégios que Meghan e Harry vão perder com sua saída da realeza britânica

Harry e Meghan Markle: daqui pra frente eles serão gente como a gente || Créditos: Reprodução

Dizer “goodbye” para a monarquia mais famosa do mundo não é algo que se vê todo dia, o que explica porque a decisão de Meghan Markle e do príncipe Harry de deixar da fazer parte da família real do Reino Unido, anunciada em janeiro, continua rendendo assunto na mídia até hoje. Para uns, o casal fez certo ao optar por uma vida menos regrada em benefício de seu filho, o pequeno Archie. Mas há uma turma que vê a duquesa e o duque de Sussex como dois ingratos, tanto que nessa quinta-feira, em seu primeiro compromisso oficial em Londres desde o #Megxit, eles foram vaiados assim que apareceram em público.

Mas, pra quem enxerga a realeza de longe meramente como uma forma de entretenimento, como é o nosso caso, abrir mão dos títulos e do status de “royal” é, acima de tudo, dar de ombro para certos privilégios que não caberiam no mundo dos plebeus. Glamurama lista a seguir 5 dessas benesses reais que Meghan e Harry vão perder assim que se tornarem “gente como a gente”. Continua lendo…

A propriedade foi presente da rainha || Créditos: Reprodução

1. Eles terão que devolver dinheiro para os contribuintes britânicos

Lembra da mega-reforma de US$ 3 milhões (R$ 14 milhões) feita na Frogmore Cottage, a propriedade nos arredores do Castelo de Windsor que a rainha Elizabeth II deu de presente para os Sussexes logo depois da subida deles ao altar? Cada centavo saiu de contas públicas britânicas, uma vez que naquela altura Meghan e Harry ainda eram vistos como pessoas diferenciadas no Reino Unido e, nesse caso, mereciam o presentão dado por seus súditos. Mas eles terão que devolver a bolada milionária com juros e correção monetária, já que não são mais representantes oficiais de seu país.

Agora os dois vão ter que bancar seu próprio estafe || Créditos: Reprodução

2. A rainha não vai mais pagar os salários dos assessores deles

Elizabeth II tira das dezenas de milhões de libras esterlinas que recebe por ano do governo para se manter as quantias que seus filhos e netos usam para montar suas equipes, e que no caso de Meghan e Harry inclui uma penca de profissionais gabaritados. Mas a monarca já mandou avisar que daqui pra frente a folha de pagamento dos funcionários deles não será mais de sua responsabilidade, e por isso os Sussexes terão que tirar do próprio bolso os valores referentes aos vencimentos da turma.

A segurança pessoal deles também deverá ser bancada pelos dois || Créditos: Reprodução

3. O Canadá não vai bancar os custos de segurança do casal

Meghan e Harry já foram ídolos dos canadenses, tanto que foi pra lá que os dois escolheram se mudar quando anunciaram o #Megxit. Mas uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa: quando perceberam que teriam que pagar pelos altos custos de segurança do casal, estimados na casa dos US$ 10 milhões (R$ 46,6 milhões) anuais, os canadenses bateram o pé e conseguiram convencer o primeiro-ministro Justin Trudeau de que agora a ex-atriz e o oitavo na linha de sucessão ao trono britânico são civis e, portanto, eles que lutem para bancar seus guardas-costas.

Kate Middleton e Meghan já usaram joias emprestadas da rainha || Créditos: Reprodução

4. Meghan não vai mais poder usar as joias da coroa ou da rainha

Uma das melhores consequências para qualquer mulher que entra para a Casa Real de Windsor é o privilégio de poder usar, emprestadas, as joias de Elizabeth II ou aquelas sob a posse dela – as chamadas Joias da Coroa. Kate Middleton vira e mexe aparece com alguma tiara ou brinco cheio de história que sua avó postiça usou anos atrás, e Meghan também já foi vista com peças de valor outrora ostentadas por Sua Majestade. Mas de agora em diante, a duquesa vai ter que comprar seu próprio bling ou, quem sabe, recorrer às joalherias que adoram promover seus lançamentos no corpo de famosas sem cobrar nada por isso. Mas provenance real que é bom, no more.

Liberou geral: os paparazzi agora poderão caçar os dois à vontade || Créditos: Reprodução

5. Os paparazzi terão acesso livre para perseguir os Sussexes

Muita gente pode se surpreender ao saber que existe uma espécie de pacto de não-agressão entre os Windsors e a mídia britânica, o que inclui os paparazzi que ficam na cola deles o tempo inteiro. Funciona mais ou menos assim: os caçadores de cliques podem até tirar fotos dos sangues-azuis quando eles aparecem em público, mas não podem persegui-los de forma exagerada e, no caso dos registrados com potencial de criar polêmica, precisam conceder o direito de resposta antes da publicação desse tipo de imagem. E, sim, existem muitas fotos de “royals” por aí que os mostram em momentos pra lá de “OMG” que a gente nunca viu e provavelmente nunca vai ver. Mas em sua nova vida como plebeus, Meghan e Harry não terão mais esse tipo de proteção e vão precisar ter cuidado em dobro com essas coisas. (Por Anderson Antunes)