31.08.2020  /  10:43

Adele surge de biquíni com bandeira jamaicana em carnaval de rua de Londres e é acusada de apropriação cultural

Adele no carnaval de Notting Hill || Créditos: Reprodução

Adele baixou no carnaval de Notting Hill nesse fim de semana, e sem querer acabou causando a maior polêmica no evento que rola há décadas nas ruas do famoso bairro de Londres. É que a cantora escolheu vestir na ocasião um biquíni estampado com a bandeira da Jamaica, o que rendeu a ela acusações de apropriação cultural. Tá certo que o bafafá só rolou no Instagram, e logo depois que a intérprete de “Someone Like You” postou em sua conta oficial na rede social uma foto de si mesma a bordo do tal biquíni controverso e usando na cabeça uma espécie de cocar, também comum entre certos povos nativos jamaicanos.

“Você não é negra”, comentou uma instagrammer identificada como Barbie Kills no post de Adele. “Você nem sequer é uma irmã caribenha”, retrucou outro que atende no Insta por Musa Sibanda. “Você deveria se informar melhor sobra as coisas, Adele”, resumiu a seguidora Sadhana Moodley. De maneira geral, quase ninguém aprovou o look dela, que por enquanto ainda não fez nenhuma retratação pública.

Fundado em 1966, o carnaval de Notting Hill, que foi eleito um dos ícones da Inglaterra em 2006, é organizado desde então por pessoas britânicas de origem indígena, geralmente com raízes nas regiões do Caribe e da África que já foram colônias do Reino Unido. Com duração de dois dias, sempre começa num domingo e termina numa segunda-feira, que é feriado por lá em razão de sua realização. Em anos normais, costuma atrair até 2,5 milhões de participantes, além de 40 mil voluntários que trabalham em seus preparativos e outros 9 mil policiais que cuidam da segurança. (Por Anderson Antunes)

*

Abaixo, o post de Adele no Insta: