24.10.2017  /  11:10

Adele pode se tornar a estrela mais bem paga da história de Las Vegas e desistir de aposentadoria

Adele || Créditos: Getty Images

Quando sugeriu, em março, que a turnê mundial que terminou em julho seria a última de sua carreira, Adele não apenas entristeceu seus fãs nos quatro cantos do planeta como também praticamente tirou de seus agentes a chance de faturar milhões em comissões, afinal os shows dela estão entre os mais disputados (e caros) em se tratando de grandes nomes da música internacional atual.

Mas no fim a dona do hit “Someone Like You” pode acabar levando a melhor, já que seu passe agora está sendo disputado a peso de ouro pelos maiores cassinos de Las Vegas, que tentam convencê-la a assinar um contrato para uma residência de um ano por lá. Esse seria o tempo que a cantora se apresentaria com exclusividade no palco de alguma das grandes mecas do entretenimento da cidade americana.

De todos, o que está na frente e tem mais chances de fechar negócio com Adele é Wynn Hotel, do bilionário Steve Wynn, que ofereceu a ela nada menos que US$ 500 mil (R$ 1,62 milhão) por somente uma apresentação semanal. Além de garantir uma renda anual de US$ 26 milhões (R$ 84,2 milhões), a vencedora do Grammy ainda teria direito a uma porcentagem sobre os pacotes que turistas ricos compram para esses eventos e que, além do ingresso, garantem tête-à-tête rápido com seus ídolos ao custo de no mínimo US$ 20 mil (R$ 64,7 mil).

É bom lembrar que Vegas, outrora o endereço de aposentadoria de famosos em fase de declínio na carreira, hoje abriga residências de vários nomes consagrados da indústria musical e que continuam no auge da carreira, como Mariah Carey, que foi a estrela máxima do Caesars Palace em 2015, e Britney Spears, a escolhida do Planet Hollywood nos últimos dois anos. Nenhum deles, no entanto, chegou perto das cifras que estão sendo oferecidas para a diva inglesa. (Por Anderson Antunes)