24.02.2018  /  9:00

Acusado de “calote” por marca suíça de chocolate, Harvey Weinstein segue enrolado na justiça

Harvey Weinstein || Créditos: Getty Images

Dentre os inúmeros processos nos quais Harvey Weinstein se tornou réu na justiça americana nos últimos meses, um em especial chama atenção: uma ação aberta contra a produtora dele, a The Weinstein Company, por uma famosa marca suíça de chocolates que acusa a empresa de ter recebido US$ 400 mil (R$ 1,3 milhão) de uma tacada só para incluir suas famosas trufas nos brindes que distribuiu aos convidados das “after parties” do Globo de Ouro que organizou em 2016 e 2017.

O problema é que o acordo também incluía a distribuição dos produtos na edição desse ano do soirée, que sempre foi uma tradição em Hollywood, mas que por causa do escândalo sexual protagonizado por Weinstein acabou não acontecendo. Em razão disso, a empresa quer receber US$ 133,333 (R$ 433,2 mil) – equivalente a um terço do valor total que pagou para a companhia cofundada por Weinstein e seu irmão Bob – mais as devidas correções monetárias.

Por falar no ex-todo poderoso do cinema, Meryl Streep e Jennifer Lawrence também andam irritadíssimas com ele. O motivo? Ambas foram citadas em um dos processos de assédio que correm contra o produtor nos Estados Unidos por causa de comentários que fizeram no passado negando terem sofrido qualquer tipo de assédio.

“O uso pelos advogados de Harvey Weinstein de uma declaração (verdadeira) minha na tentativa de mostrar que ele não era sexualmente transgressivo ou fisicamente abusivo em nossa relação comercial não é prova de que não tenha agido desta forma com MUITAS outras mulheres”, Meryl disse em um comunicado. Jennifer, que também divulgou nota para esclarecer o assunto, foi ainda mais longe e comentou que Weinstein “está fazendo o que sempre fez, que é tirar as coisas do contexto verdadeiro para o próprio benefício”. (Por Anderson Antunes)