29.01.2018  /  9:00

A partir de agora a polícia holandesa poderá abordar jovens com roupas de marca… O motivo?

Carros da polícia de Roterdã e looks das coleções de inverno 2018 de Alexander McQueen e Vetements || Créditos: Divulgação

Por essa ninguém esperava… Já imaginou estar andando na rua com um de seus melhores looks, acessórios mil e, de repente, ser parado pela polícia, assim, do nada? Pois bem, se você for homem e fashionista isso poderá acontecer em Roterdã, cidade que anunciou um programa que prevê a abordagem de jovens do sexo masculino que estejam usando peças de grife e acessórios caros, como joias e relógios.

Por ter o maior porto da Europa, a cidade holandesa é considerada vulnerável quando o assunto é a entrada de drogas ilegais vindas de outros cantos do mundo. Aliado a isso, gangues juvenis começaram a crescer, deixando de cabelo em pé os moradores e turistas. “Sabemos que eles trajam roupas caras demais, considerando o dinheiro que conseguem. Vamos investigar como conseguem essas roupas, onde compraram e de onde veio o dinheiro usado para comprá-las”, declarou o chefe da polícia de Roterdã, Frank Paauw, ao jornal holandês “De Telegraaf”.

Os itens mais visados pelos policiais? Tênis e jaquetas Gucci, e relógios Rolex – dois exemplos de itens que passaram a chamar a atenção dos oficiais locais. Por enquanto a ideia ainda está em teste e já dando o que falar, afinal, a ação pode iniciar um desastroso caminho rumo ao “perfilamento racial” (do inglês “racial profiling”), termo usado para abordagens ou investigações policiais que classificam um indivíduo como suspeito com base apenas em sua cor ou etnia, e não em alguma evidência específica. Que situação…