12.05.2020  /  11:57

A crise passou longe de Cate Blanchett, que só nessa semana conseguiu dois novos trabalhos

Cate Blanchett || Créditos: Reprodução

Cate Blanchett definitivamente não precisa se preocupar com a escassez de trabalhos por causa da pandemia. Uma das atrizes mais “em alta” de Hollywood, a estrela australiana adicionou à sua atribulada agenda mais dois grandes projetos só nessa semana. O primeiro é o longa “Armageddon Times”, que terá roteiro e direção de James Gray e será uma espécie de cinebiografia dele em seus tempos como aluno da famosa escola preparatória Kew-Forest do Queens, em Nova York. A cereja do bolo da história fica por conta do fato de que Fred Trump, pai de Donald Trump, foi membro do conselho da instituição de ensino nos anos em que o cineasta a frequentou.

Já o segundo projeto bookado por Blanchett é o filme de horror “Don’t Look Up”, uma refilmagem de uma fita japonesa de mesmo nome que chegou aos cinemas em 1996 e que a Netflix vai relançar com Jennifer Lawrence liderando o elenco. Some-se a isso o fato de que a duas vezes vencedora do Oscar também poderá estar na adaptação para a telona do vídeo game “Borderlands”, sob a batuta de Eli Roth e conforme foi noticiado pela imprensa hollywoodiana recentemente, e dá pra dizer que ao menos o 2020 dela será bem agitado.

Blanchett, é claro, está no ar atualmente em “Mrs. America”, uma minissérie que estreou em meados de abril no Hulu e que logo caiu no gosto da crítica especializada. Na atração, a atriz interpreta a advogada conservadora Phyllis Schlafly, que morreu em 2016 e entrou para a história americana como uma das vozes mais contrárias ao feminismo e outros movimentos mais progressistas. São grandes as chances de que ela receba uma indicação ao Emmy pelo papel. (Por Anderson Antunes)