20.05.2019  /  8:17

5 motivos que provam porque Cher continua poderosíssima no dia em que a cantora faz 73 anos

Cher || Créditos: Reprodução

Tem jeito melhor de começar a semana do que celebrando as 73 primaveras que Cherilyn Sarkisian completa nessa segunda-feira? Pra quem não ligou o nome à pessoa, basta dizer que é de Cher que estamos falando, a mais diva das cantoras americanas e para sempre ícone dos anos 1970. Caso típico de artista famosa o suficiente para ser conhecida simplesmente pelo primeiro nome (ou só pelas primeiras quatro letrinhas do primeiro nome, como é o caso dela), a intérprete de “Believe” e tantos outros “hinos gays” continua na ativa e está firme e forte na estrada desde setembro do ano passado, quando deu o pontapé inicial da turnê “Here We Go Again”.

Com 82 shows agendados em três continentes e o último marcado para 19 de dezembro em Dallas, nos Estados Unidos, a tour global já faturou US$ 45 milhões (R$ 184,6 milhões) e deverá ser finalizada com pelo menos o dobro disso em ingressos vendidos. Nada mal pra quem precisa dividir o mesmo espaço do showbiz com “novinhas” como Katy Perry e Lady Gaga, e pra provar que Cher continua com tudo em cima Glamurama lista a seguir 5 fatos sobre a Cher dos anos 2010 que provam exatamente isso. Continua lendo… (Por Anderson Antunes)

A cantora está em cartaz em Vegas || Créditos: Reprodução

Ela tem um dos shows mais disputados em Las Vegas

Hoje em dia o desejo número um entre as grandes estrelas da música é ter uma residência em algum cassino da Cidade do Pecado, e Cher conseguiu a dela em 2017. Atualmente em cartaz no Park Theater at Monte Carlo Resort and Casino, “Classic Cher” é uma das mais disputadas por lá e em razão do sucesso que tem feito até hoje provavelmente não vai deixar os palcos de Vegas tão cedo.

A madrinha dos gays || Créditos: Reprodução

Ela continua bombando entre os gays e simpatizantes

Rainha do público LGBT desde sempre, Cher postou em sua conta no Twitter poucos dias antes da Parada Gay de Sydney de 2018 que se apresentaria no mega-evento, um dos maiores do mundo em seu segmento, pela primeira vez em treze anos. Foi o suficiente para que os ingressos do “pride” australiano se esgotassem em apenas três horas, algo típico somente entre as superstars.

A capa do álbum “Dancing Queen” || Créditos: Reprodução

Ela continua fazendo música boa

No ano passado, Cher lançou seu primeiro álbum em cinco anos, o “Dancing Queen”, no qual canta alguns dos clássicos do grupo sueco ABBA pra pegar carona no hype em torno da continuação do arrasa-quarteirão “Mamma Mia!” em que fez uma ponta de luxo. A “Entertainment Weekly” classificou o trabalho em estúdio como o mais importante da carreira dela desde o icônico “Believe”, de 1998.

O elenco do musical “The Cher Show”, hit da Broadway || Créditos: Reprodução

Ela inspirou um musical da Broadway

Encenado na Broadway desde o fim do ano passado, o musical “The Cher Show” é sucesso de público e de crítica. Baseada em um livro de Rick Elice sobre os primeiros anos da carreira de Cher, a produção concorre nesse ano a três prêmios Tony – o Oscar do teatro americano – e em breve deverá ganhas versões para outros países, começando pelo West End de Londres, na Inglaterra.

Aposentadoria? Jamais! || Créditos: Reprodução

Ela está cheia de projetos

Achou pouco o que já citamos? Pois Cher não pára e no momento desenvolve vários “jobs” simultaneamente, como um álbum com músicas natalinas, um outro com mais hits do ABBA, uma autobiografia e, a cereja do bolo, uma cinebiografia sobre seus altos e baixos em Hollywood. E tudo isso enquanto viaja pelo mundo fazendo shows e brilha em Vegas. Poderosa!