04.12.2016  /  8:00

Projeto de linha ferroviária no sudeste da França está na mira da Chanel

A fazenda da família Mul, em Grasse, na França || Créditos: Getty Images
A fazenda da família Mul, em Grasse, na França || Créditos: Getty Images

A Chanel cogita abandonar o cultivo de jasmins e rosas utilizadas na produção de seu mais famoso perfume, o Chanel No. 5, na cidade de Grasse, região sudeste da França. O problema é que o projeto de uma linha ferroviária que será construída na cidade também inclui um viaduto elevado sobre o Vale do Siagne, onde ficam as plantações, e isso poderia prejudicar o cultivo das flores.

Em um comunicado divulgado nesta sexta-feira, a maison francesa afirmou que caso o projeto siga adiante, ela seria obrigada a “interromper seu apoio às atividades artesanais na região”. Há décadas a Chanel mantém um acordo com várias famílias de lá, principalmente os Mul, para quem terceiriza a produção dos principais ingredientes utilizados
no No. 5.

O projeto da nova linha ferroviária, que terá controle estatal, foi pensado para aliviar o tráfego entre as cidades de Marselha e Ventimiglia, na fronteira com a Itália, e onde circulam mais de 46 milhões de passageiros por ano. (Por Anderson Antunes)