Divulgação/Reprodução
Capa do livro “A Morte Não Toca Violino”, e o advogado e autor da obra Luiz Kignel || Divulgação/Reprodução

Antes um prazer, escrever livros tornou-se motivo de sucesso para Luiz Kignel, sócio do escritório de advocacia PLKC. Depois de ficar entre os três livros mais vendidos da Livraria da Vila com “A Morte que tudo Resolve”(2012), sua primeira obra publicada, o advogado lança, no dia 6 de junho, em São Paulo, a continuação do romance policial.

“A Morte Não Toca Violino” conta novas desventuras de Thomas Lengik (o sobrenome do autor ao contrário) – um advogado mediano, recém-casado e pai de dois filhos, que luta para pagar as contas no final do mês e que terá que desvendar uma série de mortes em um projeto cultural chamado Música Clássica Também é Para você.

A primeira edição da trilogia contou com poucos personagens e foi narrada na primeira pessoa. Agora mais confiante como autor, Kignel aposta em seu segundo livro em ficção narrada em terceira pessoa e envolvendo mais personagens. A dose de realidade fica por conta de Nathan Schwartzman, 88 anos, violinista renomado e sogro do autor que inspira um dos personagens da história como forma de homenagem.

E tem mais, o terceiro livro da trilogia já está sendo escrito e ganhará o nome “A Morte Nasceu Para Todos.” E assim como os dois primeiros, Kignel avisa: “não conterá cenas de violência, apenas mistério.”

*O lançamento do livro acontece no dia 6 de junho, das 18h30 às 21h30, na Livraria da Vila do shopping Pátio Higienópolis.