22.08.2017  /  11:32

Juliana Paes versão Bibi Perigosa e rainha de bateria: “Por que me meti nisso?”

Juliana Paes, Marco Antonio de Biaggi e João Batista Jr || Créditos: Reginaldo Teixeira

Juliana Paes – mesmo a mil por conta de Bibi, uma das protagonistas de “A Força do Querer” – foi prestigiar Marco Antonio de Biaggi, que lançou seu livro “A Beleza da Vida” essa segunda-feira no Copacabana Palace, no Rio. “Ele esteve muito próximo de mim no começo da minha carreira, nas minhas primeiras capas de revista, e aquilo era um sonho pra mim. Quando fui fazer a ‘Playboy’, ele que cuidou do meu cabelo, e estava ali do meu lado. Sempre muito carinhoso, querido, ético, correto. Independente do momento profissional da atriz, ele tem sempre uma mão para estender, um conselho. Ah, e foi ele que me ensinou a fazer babyliss”.

Juliana Paes em cena de “A Força do Querer” || Créditos: TV Globo

“Termômetro do sucesso”

Mudando de assunto… Mesmo sendo uma das atrizes mais famosas e queridas do Brasil, Juliana tem sido chamada pelo nome da personagem nas ruas, “confusão” que é mais comum com principiantes. “Fazia tempo que isso não acontecia comigo. Pra mim, é um termômetro do sucesso da novela. Um papel polêmico, contraditório e ambíguo causa sensações nas pessoas, fico muito feliz com a repercussão, mas é um trabalho em equipe e a novela é um sucesso como um todo. Não faço nada sozinha”.

“Ética elástica”

As pessoas em casa torcem pela Bibi, apesar de ela já ter se tornado uma bandida. Isso não é perigoso, um exemplo errado? “A Bibi não é de má índole. Tem é uma ética elástica, por amor. A paixão dela é doente. É uma fixação, na verdade. Ela não mede esforços para agradar aquele homem [Rubinho – Emilio Dantas]. Acha que formou aquela família, esse é o homem dela e ela tem que fazer tudo por ele e pronto. Não tem limites. Eu tenho: o meu é poder colocar a cabeça no travesseiro e dormir a noite inteira. Espero que ela quebre a cara, sofra muito e passe uma mensagem para o telespectador que esse caminho não vale a pena. Torço por uma redenção, sim, mas não sem antes levar uma bela lição”.

“Uma despedida à altura”

Como se não bastasse esse turbilhão, Juliana ainda disse “sim” ao convite da Grande Rio para ser rainha de bateria da escola de samba de Caxias, que escolheu um enredo sobre Chacrinha para o próximo Carnaval. “Minha coroação é daqui a duas semanas [dia 2 de setembro]. Estou feliz de ter aceitado essa loucura de voltar para a Avenida. Tem horas que eu penso: ‘por que me meti nisso?’ Dá um supertrabalho. Fazendo novela então… Mas o coração bateu mais forte. Quero fazer uma despedida à altura”, disse a moça, que por anos teve o mesmo posto na Viradouro, de Niterói, deixando claro que não deve repetir a dose. É só mais uma vez e acabou… Será?