Gates, o mais rico do mundo, e Lemann, o mais rico do Brasil
Gates, o mais rico do mundo, e Lemann, o mais rico do Brasil || Créditos: Getty Images

A nova lista de bilionários da revista americana “Forbes” acaba de ser divulgada e apesar das turbulências políticas e econômicas em todo o mundo nos últimos 12 meses, o número de pessoas com patrimônio pessoal igual ou superior a US$ 1 bilhão (R$ 3,1 bilhões) aumentou 13% no período: de 1.810 em 2016 para 2.043. No topo do ranking, pelo quarto ano seguido, está Bill Gates, dono de uma fortuna de US$ 86 bilhões (R$ 264,8 bilhões).

O co-fundador da Microsoft é seguido no Top 5 por Warren Buffett (megainvestidor, US$ 75,6 bilhões – R$ 232,8 bilhões), Jeff Bezos (Amazon, US$ 72,8 bilhões – R$ 224,1 bilhões), Amancio Ortega (Zara, US$ 71,3 bilhões – R$ 219,5 bilhões) e Mark Zuckerberg (Facebook, US$ 56 bilhões – R$ 172,4 bilhões).

No Brasil, os cinco mais ricos são Jorge Paulo Lemann (AB InBev, US$ 29,2 bilhões – R$ 89,9 bilhões), Joseph Safra (Banco Safra, US$ 20,5 bilhões – R$ 63,1 bilhões), Marcel Herrmann Telles (AB InBev, US$ 14,8 bilhões – R$45,6 bilhões), Carlos Alberto Sicupira (AB InBev, US$ 12,5 bilhões – R$ 38,5 bilhões) e Eduardo Saverin (Facebook, US$ 7,9 bilhões – R$ 24,3 bilhões).

Segundo a “Forbes”, a riqueza combinada dos membros do clube dos dez dígitos em 2017 chegou a US$ 7,67 trilhões (R$ 23,6 trilhões), um aumento de 18% em relação à lista do ano passado. Mas nem tudo são flores: entre 2016 e 2017, 20 bilionários morreram e outros 76 de todo o mundo perderam o título pomposo, inclusive nove ricaços que decidiram dividir suas posses com seus herdeiros e agora são “apenas” multimilionários. (Por Anderson Antunes)