14.04.2017  /  10:12

Gabriel Leone vive militância na TV: “Eu teria reações parecidas”

gabrielleone
Gabriel Leone || Créditos: TV Globo

Gabriel Leone interpreta o jovem idealista Gustavo – que vai ser torturado durante a ditadura – em “Os Dias Eram Assim”, próxima novela das onze da Globo, ambientada nas décadas de 70 e 80. “Pra mim, pior que as cenas de tortura física (bem pesadas a julgar pelo teaser exibido para a imprensa) foram as de tortura psicológica. Foi o que mais doeu…”

Um deslize

Perguntamos quem é esse rapaz que o ator dá vida na trama.”Gustavo é apenas um estudante se preparando para o vestibular, um artista amador, compõe letras contra a ditadura, mas não é filiado a nenhum movimento armado ou político. Por conta de um deslize, sua vida muda para sempre – deixando marcas profundas. E aí ele passa a fazer parte dessa luta: a ditadura permanece – e ele não vai ficar em casa. Provavelmente eu teria reações parecidas. E como eu também componho, é um outro ponto em que me identifico com o personagem”.

“Sorte tem a ver com trabalho”

A gente quis saber se Gabriel acha que os jovens de hoje em dia, como ele, são tão engajados… “Na época da ditadura, eram tempos de chumbo, diferentes, mas a luta por liberdade ainda é a luta do jovem de hoje. Ainda ficaram sequelas”. Comentamos sobre a sorte que o ator tem: uma carreira tão curta, tantos papeis tipo prato cheio em pouco tempo [em “Verdades Secretas”, em “Velho Chico” e agora]…  “Sorte tem a ver com trabalho, com aproveitar – ao máximo – as oportunidades. Sou, sim, muito agradecido pelas chances que tive de mostrar meu potencial, mas não adianta nada ter sorte se você não entrega, não mergulha naquilo, mostra resultado. Se trata de conseguir e manter essas boas oportunidades. Me dedico, dou meu melhor sempre”. (por Michelle Licory)