16.04.2017  /  8:07

Espinhas? Chocolate não é o vilão da Páscoa, explicam dermatologistas

 Quais os mitos e verdades sobre esse alimento tão desejado no mundo todo? || Créditos: Reprodução Instagram
Quais os mitos e verdades sobre esse alimento tão desejado no mundo todo? || Créditos: Reprodução Instagram

Impossível ligar a Páscoa aos chocolates. Um mito comum nesta época é acreditar que comer chocolates impulsiona o surgimento de espinhas. O dermatologista Gilvan Alves, assegura que saber escolher qual chocolate ingerir é fundamental para manter a saúde da pele. “O chocolate não dá espinha, ele não é o vilão. O que estimula a produção de óleo das glândulas sebáceas, piorando o quadro, é o açúcar refinado e o leite de vaca presentes no chocolate”, explica o dermatologista.

Para manter a pele saudável e sem problemas, a indicação médica é priorizar sempre os chocolates com maior concentração de cacau e menos leite, como os mais amargos, por exemplo. “Se você comer um cacau inteiro, não vai surgir nada de ruim na sua pele. Isso é a prova de que chocolate não causa espinha, mas sim os ingredientes que ele pode conter”, ressalta. Considerando o açúcar e o leite como os causadores de problemas, o médico explica ainda que o chocolate branco não é recomendado para quem quer evitar transtornos na qualidade da pele. Isso porque o chocolate branco não contém cacau, e sim manteiga de cacau, açúcar e leite. Apesar de não existirem estudos que comprovem a relação entre comer chocolate e ter espinhas, o médico alerta que são necessários cuidados especiais para quem já tem propensão a acne. “Quem já possui um quadro de acne deve evitar a ingestão de doces que contenham alto teor de açúcar e leite de vaca”, orienta Gilvan.

Para aproveitar o feriado numa boa, Glamurama pediu ajuda à dermatologista Cintia Guedes Mendonça, da Clínica Vitalli, que desvendou os mitos e verdades sobre o chocolate e a pele:

– Chocolate dá espinha?
Sim. O chocolate pode piorar o quadro de acne em pacientes predispostos em função do açúcar. Ele, assim como outros carboidratos, tem alto índice glicêmico, aumentando a produção de insulina e, consequentemente, a produção sebácea.

– Qual seria o chocolate mais indicado: amargo, ao leite ou branco?
O chocolate amargo e o meio amargo possuem maior quantidade de cacau e menor quantidade de manteiga de cacau e açúcar, tendo menor índice glicêmico.

– Existe algum benefício em comer chocolate?
O cacau é um ótimo antioxidante, ajudando na prevenção do envelhecimento e até de doenças cardíacas, desde que consumido em pequenas quantidades (30g/dia).

– Chocolate dá a sensação de bem estar?
Sim. Após a ingestão do chocolate liberamos um hormônio chamado serotonina, que é responsável pela sensação de bem estar.

– O consumo excessivo do chocolate pode causar algum malefício?
Sim. Em função dos açúcares pode contribuir para o aparecimento de diabetes, piorar o colesterol e triglicérides, além de favorecer o ganho de peso. Já seu consumo em excesso em um único dia pode causar náuseas, diarreia, dores de cabeça e irritabilidade. Além das famosas barras, o chocolate também pode ser benéfico para o nosso corpo e muitas vezes é utilizado, por exemplo, em banhos de ofurô e tratamentos para cabelo e rosto, normalmente aplicados em Spas e salões de beleza.

Para não exagerar durante a Páscoa, a nutricionista Gabriella Alves, da Corpometria, também tem algumas dicas. Segundo ela, o ideal é dividir os doces em porções e comer um pouco por dia.”Isso só não pode se tornar uma rotina e o certo é que nos próximos dias a ingestão de açúcar seja menor”, frisa. Para quem está fugindo dos açúcares, os chocolates brancos devem ser descartados não apenas da Páscoa, mas do cotidiano também. Isso pelo fato de o doce ser rico em açúcar e leite e não levar nada de cacau na receita, apenas a gordura da fruta. O chocolate ao leite também é considerado um vilão no quesito teor de açúcares. Doces com corantes e aromatizantes artificiais também devem ser evitados.

Depois de todas essas orientações, não precisa ficar neurótico e se isolar na data, como considera Gabriela. “Datas comemorativas como Páscoa e Natal acontecem apenas uma vez por ano e as pessoas esperam por elas. Não tem problema se permitir um pouco mais nesses momentos, desde que você se cuide durante todos os outros meses”, lembra. Para comer sem culpa, valorize os bons hábitos no restante do ano. Não vale achar que todos os dias são sem regras e consumir chocolate desenfreadamente diariamente. “Praticar atividade física, evitar alimentos com muita açúcar e gordura e se cuidar sempre” são as orientações da nutricionista para manter uma boa rotina nos outros dias.