Ilustração: Bruna Bertolacini
Ilustração: Bruna Bertolacini

A pedido da J.P de dezembro, a astróloga Maína Mello conjecturou sobre o motivo que leva uma pessoa a matar e a forma com que faz isso, de acordo com suas características zodiacais. usando exemplos da ficção e da realidade, Maína mostra que o criminoso pode ser truculento, suave, sádico, organizado, calculista, espetaculoso etc. Ela ressalva, evidentemente, que o mapa astral não determina um homicida. Mas adverte: o psicopata pode estar ao seu lado.

Áries: Regido pelo mitológico deus da guerra, Marte é conhecido como o planeta vermelho da força de vontade. Áries pode ser brutal. Mas esse impulsivo deus gigante carece de estratégia; a falta de refinamento o impede de se tornar um serial killer. Ele não costuma pensar duas vezes antes de tomar uma atitude;  suas paixões são reativas, violentas. Chuta a porta, invade o terreno, dá um soco no estômago, chute no saco: é na base da porrada mesmo. Ou ateando fogo e causando destruição e caos. Estuprando e depois matando. Perigo em muitos casos legalizado: o ariano não pode ter uma arma ao alcance. É imensa a probabilidade de ele sacá-la em um momento de raiva – e ele pode chegar a esse extremo por um motivo banal. Estamos falando no masculino, mas vale para mulheres. Um empurrãozinho da escada basta para acabar com a vida da inimiga.

Touro: Difícil imaginar que o tranquilo Touro seja capaz de machucar alguém, mas já viu o que acontece quando o maltratam numa tourada? Ok, só em caso extremo para este nativo de Vênus reagir a chifradas. Seu tipo assassino pode ser de uma raiva contida, com requintes de crueldade. Em vez de sacar logo uma arma, Touro pode preferir uma sessão de tortura, destilando o rancor aos poucos. Deixando a pessoa sofrer durante um longo tempo numa solitária. Se este criminoso for uma pessoa endinheirada, é provável que prefira pagar a um matador de aluguel a sujar as mãos – porque Touro faz o tipo que paga os outros para fazer o que não gosta, já que seu lance é com o conforto, sempre. Mas se for no ódio do momento (e, em muitos casos, é durante a relação sexual que sua perversão aparece), ele vai pelo tato, enforcando a vítima com as próprias mãos. Ou com cordas, como num bondage fatal.

Gêmeos: Não por acaso Mercúrio é o mensageiro dos deuses: sua capacidade de adaptação e versatilidade vão do submundo até o Olimpo. Regidos pelo deus de asinhas nos pés, os geminianos podem se envolver tanto com o tráfico nas favelas  como com crimes de colarinho de branco. Quando penso no psicopata de Gêmeos, logo me vem à mente o Coringa: mestre da improvisação, imprevisível, sua grande arma é intelectual. Ele é capaz de cometer atrocidades com os recursos que tiver às mãos. Mentiroso nato, sabe como ninguém manipular as pessoas. No caso de elaborar o assassinato, Gêmeos pode armar uma emboscada. E se não tiver coragem de fazer por si mesmo, este nativo das encruzilhadas pode apelar ao sobrenatural – e continuar agindo como se não tivesse nada a ver com isso.

Câncer: Signo sentimental, Câncer magoado é um perigo. Ainda mais se for uma pessoa de constituição física forte, porque aí pode morder e socar até a morte – se você duvida do que estou dizendo, saiba que Mike Tyson é canceriano, e que se não matou ninguém no ringue até hoje é porque tem um monte de gente ao redor para impedir. Mas no caso de ser alguém  “normal”, vale lembrar que a mesma pessoa que alimenta também pode envenenar. Enquanto compartilha um bom drinque. Boa noite, Cinderela. E se Câncer resolve se profissionalizar no crime, sua identificação é com a máfia – quer associação mais família do que essa? O canceriano mafioso humilha sua vítima de todas as formas possíveis, pela traição imperdoável. Acima de tudo, ele precisa proteger os seus. Mas ele também pode ser aquele que invade uma casa e rende uma pessoa no seu momento mais vulnerável, como o Bandido da Luz Vermelha.

Leão: Até mesmo os crimes de Leão podem ser espetaculares. Pense nos reis que mandavam matar seus opositores em praça pública. Leão é do tipo que faz da cena do assassinato um circo de horrores, e ainda pendura partes do corpo esquartejado por aí para todo mundo ver do que é capaz – não lembra de Game of Thrones, quando o tirano Joffrey obriga os filhos do Ned Stark a ver sua cabeça espetada nos muros do castelo? E mesmo os monarcas mais discretos mantinham suas câmaras de tortura que hoje estão expostas em museus, e que surpreendem pela magnitude da maldade. Se rolar briga, Leão pode ser um lutador brutal. Também pode seduzir as vítimas com promessas de presentes e prêmios. Em momento extremo, ele simplesmente saca a arma e atira à queima-roupa – porque se sente empoderado assim.

Virgem: Recentemente tive acesso a uma lista dos signos dos maiores serial killers americanos, e adivinha qual representava o maior números de psicopatas? Virgem é o próprio Dexter do seriado americano homônimo, que retalha a pessoa nos mínimos detalhes e depois é de uma higiene impecável. Quem consegue detê-lo? Virgem é de corte cirúrgico e tiro certeiro. Frio e calculista, não é do tipo reativo, guarda em silêncio o rancor até ter a oportunidade de revidar. E aí é capaz de brincar com a vítima como se fosse um ratinho no seu laboratório de maldades. Em geral o assassino de Virgem se atrai por tipos inocentes, como crianças, mulheres e idosos, e sabe exatamente como atrai-las para sua armadilha, se fazendo de amigo, humilde, disposto a ajudar. Ou seja, ele conquista a confiança e depois se revela em toda a sua crueldade.

Libra: Eis um signo que não perderia a elegância nem para cometer um assassinato. Libra é do tipo que carrega na bolsa uma pequena pistola com silenciador. Ou faz como os agentes russos que, durante os anos de guerra,  esbarravam acidentalmente a ponta do guarda-chuva envenenado em suas vítimas pelas ruas. Ok, parece até dramaturgia, e talvez seja. Mas Libra é realmente capaz de se disfarçar, ou usar um truque como esse. Pode ser uma daquelas cortesãs e dançarinas que seduzem um homem para depois envenenar seu drinque, enquanto fazem um striptease, ou cortam sua jugular. Aliás, a deusa da justiça associada ao signo carrega uma espada em uma das mãos. E o nativo pode ter seu próprio senso de Justiça, ainda que duvidoso. Pensou em duelo? Ou pelo menos algo desse tipo em formato mais contemporâneo, envolvendo facas. Certamente os librianos são estrategistas, sofisticados demais para um ato de pura barbárie.

Escorpião: Matar pode ser um vício para Escorpião. Um personagem característico é o doutor Hannibal Lecter, psiquiatra do livro O Silêncio dos Inocentes. Manipulador e canibal, Lecter se valia do conhecimento profundo da alma humana para atrair as vítimas para sua mesa. Mas a natureza sádica de Escorpião também pode fazer dele um torturador sem igual. Ele pode se envolver em crimes passionais: ciumento, violento, atração fatal. Estupro está dentre as sombras do signo do sexo, assim como abusos psicológicos, ele seduz e mente, manipula seus piores temores e vulnerabilidades. E o que dizer dos assassinatos cometidos por inveja? Escorpião gosta de dinheiro, pode matar para roubar. Ou matar por vingança. Nesse caso é mesmo um prato que se come frio. Escorpianos podem ser invisíveis se quiserem. Quando se percebe, o golpe já foi desferido.

Sagitário: Sagitário mata de arco e flecha, pode ser um exímio francoatirador, tem uma excitação em atingir o alvo. Centauros são caçadores e podem ter talento para serial killer: não conseguem parar, precisam superar seus recordes, obter cada vez prêmios maiores. Em geral os psicopatas sagitarianos não fazem o tipo misterioso, pelo contrário, podem ser bons de lábia, carismáticos e acima de qualquer suspeita. Envolvida a vítima, sua selvageria se revela: abusos sexuais, necrofilias, canibalismo. O Maníaco do Parque, que era um motoboy, agia assim: se apresentava como agente de modelos e convencia as mulheres a irem para o meio do mato, onde supostamente as fotografaria; depois de estuprar, matava por estrangulamento. E olha só a capacidade de Sagitário de provocar o desejo das pessoas: depois de preso, ele começou a receber cartas de mulheres que diziam gostar dele, e se casou com uma delas.

Capricórnio: Planejamento é com Capricórnio. Rígido e metódico, quando sua sombra emerge e ele pretende cometer um assassinato, é provável que contrate alguém para fazer o serviço. Capricórnio é o mandante. Sua identidade até pode se manter sigilosa, acompanhando tudo de longe, mas ele gosta demais de estar no comando para não aparecer na cena do crime e humilhar a vítima. Um caso famoso é o do goleiro Bruno, assassino da ex-amante Eliza Samudio, que afirmava ter um filho dele e ameaçava tirar o seu dinheiro. Crime que até hoje permanece mal explicado, pois não há concordância entre os testemunhos, o que se sabe é que ela foi morta a mando de Bruno por traficantes, esquartejada, seus pedaços dados a cachorros rottweiler e os ossos, concretados. Porém, seus vestígios nunca foram encontrados. Capricórnio é pedra, pode matar a coronhadas. Ou prender a vítima, sem ar, sem luz, deixando-a definhar.

Aquário: A perversão de Aquário tem tudo a ver como o episódio “Manda Quem pode”, da terceira temporada de Black Mirror, no qual um hacker que não chegamos a conhecer coage suas vítimas, ameaçando expô-las por suas transgressões – e nisso joga com elas, obrigando-as a cometer outros crimes. Pensou também no filme Jogos Mortais, no qual pessoas “que não valorizam a vida” são sequestradas por um psicopata, aprisionadas e submetidas a um teste extremo de reabilitação no qual devem matar ou morrer? O crime de Aquário é o da tortura mental que extrai o pior das pessoas. E ele justifica seus atos com uma ideologia supostamente justa, segundo seus conceitos pervertidos. É assim porque a inteligência acima da média do signo pode dotar seus nativos de um ego frio e narcisista, e ele se achar acima do bem e do mal. Em muitos casos, Aquário não chega aos extremos da violência física, e simplesmente mata, com um tiro ou facada.

Peixes: Se tem um signo com probabilidade de matar por motivos religiosos, é Peixes. Ele pode se considerar um missionário de Deus na defesa da moral e dos bons costumes. Matar para Peixes pode ser um ritual, com vários símbolos místicos. Como fez um jovem de 16 anos do interior do Mato Grosso do Sul, que ficou conhecido com Maníaco da Cruz. Com uma faca ele obrigava as vítimas a relatar sua vida sexual e matava, deixando seus corpos em forma de cruz. Mas a motivação também pode ser satânica, com sacrifícios. E o nativo ainda pode justificar que estava possuído. Peixes pode ser dado ao autossacrifício, como os homens-bomba. E também pode matar por amor. Uma desilusão, e ele pode privar o ser amado da vida. Fazendo-o sofrer bastante antes: um jogo de tortura e lágrimas, com muita culpabilização. Para que nem a morte os separe. E sendo um psicopata insensível, Peixes expõe as vísceras. Depois some, sem deixar rastros.