27.09.2013  /  13:41

Com desfile ousado, Dior mostra o seu lado “venenoso”. Play now!

Fila A:  Natalia Vodianova, Carine Roitfeld, Alexia Niedzielski e Olivia Palermo

Quem assistiu ao desfile da Dior nesta sexta-feira no Museu do Rodin, em Paris, ainda está pensando nas frases que Raf Simons escreveu nos vestidos da maison. “Always changing, forever now” – “sempre mudando, para sempre agora” em tradução livre, “colours both imagined and real” – “cores tanto imaginadas quanto verdadeiras”, “sweetly poisons” – “os mais doces venenos”, entre outras. Os versos são para não ter dúvida de que a coleção primavera/verão 2014 da Dior é contemporânea, jovem e uma introdução a uma nova estética da marca, com arquitetura e silhueta diferentes, mas que ainda dialogam com o DNA da marca. 

 “Esta coleção é sobre empurrar a Dior a sair do romântico e entrar no perigoso. O jardim encantado se tornou venenoso”, contou o estilista, que, para provar sua máxima, encheu a passarela de peças no estilo esporte-chique, que misturavam estampas florais, cropped tops,  saias lápis e vestidos midi a bolsas e sapatos tipo cinquentinha. 

Enquanto isso, na fila A, fashionistas brasileiras como Alexia Niedzielski, Giovanna Meneghel e Helena Bordon sentavam ao lado de Olivia Palermo, Delfina Delettrez e Carine Roitfeld. Quem também assistiu ao desfile foi Cris Lotaif -junto do marido, Philippe de Nicolay-, Sophia Alckmin, Cris Tamer, Patricia Brandão, Chris Pitanguy, Fabiana Pastore e Ucha Meirelles -nossa correspondente.

* Como um vídeo vale mais que mil palavras, assista ao show da Dior e reflita: alguém ainda se lembra de Galliano?

Lembrando que, em São Paulo, a Dior tem loja no shopping Cidade Jardim.