19.03.2017  /  8:06

Anna Fasano abre casa para jantares com o chef Pedro Mendes de Almeida Botelho

Antonio Pedro Mendes de Almeida Botelho em ação no almoço - e com Anna Fasano || Créditos: Juliana Rezende e Divulgação
Antonio Pedro Mendes de Almeida Botelho em ação no almoço – e com Anna Fasano || Créditos: Juliana Rezende e Divulgação

O rapaz aqui em cima é Antonio Pedro Mendes de Almeida Botelho. Carrega o sobrenome de uma tradicional família carioca, mas começou no mundo da gastronomia fazendo empadinha e coxinha para ganhar o próprio dinheiro na época em que cursava Administração, no Rio. Vendia na cantina da faculdade ou pela vizinhança – as entregas eram feitas por ele de skate. Antonio acabou pegando – muito – gosto pela coisa, foi fazer um curso no Senac e decidiu embarcar para um estágio na França, de 3 meses. Ficou 8 anos e meio. Voltou por amor, para morar em São Paulo com Anna Fasano – filha de um dos restaurateurs mais famosos do Brasil, Rogerio Fasano. Foi pedir emprego para o sogro? Não. O casal vai abrir a própria casa para jantares para 12 pessoas. “Um menu degustação, mas em um clima mais à vontade, trocando ideia enquanto eu cozinho”.

Glamurama estava entre os convidados de um almoço feito no apartamento da mãe de Antonio, Elisa Marcolini, na orla da Barra da Tijuca. À mesa Patricia Brandão, Vanda Klabin, Bebel Niemeyer, Antonio Neves da Rocha, Carlos Tufvesson, Andrea Rudge, David Hertz, Bel Augusta, Bebel Schmidt. Que time… A ideia era apresentar os talentos do rapaz para esses importantes formadores de opinião. O chef pretende pegar a ponte aérea e fazer também jantares especiais no Rio, na casa do cliente – levando até a própria louça.

Antonio Pedro Mendes de Almeida Botelho || Créditos: Juliana Rezende
Antonio Pedro Mendes de Almeida Botelho || Créditos: Juliana Rezende

Aproveitamos para bater um papo com ele na cozinha. “Passei a maior parte do meu tempo na Europa em Paris, onde trabalhei em restaurantes com estrela Michelin, Ze Kitchen Galerie [em duas passagens, a última como sous chef] e David Toutain. Trabalhei também no Martín Berasategui, em San Sebastian, Espanha. Vim para o Brasil porque estava com um problema no ombro. Quis ver o meu médico. Foi quando conheci a Anna… Decidimos ficar juntos e eu voltei, há três meses. Meu prato que ela mais gosta? O falso risoto de abóbora, uma criação que foi culpa da Anna. Eu sempre usei bastante manteiga e creme de leite nas receitas, mas ela gosta de comer mais saudável. Então passei a fazer esse prato superleve [uma delícia, o melhor do menu degustação que nós provamos!]. Não sei se a conquistei pela barriga… Tem que perguntar pra ela. Espero que tenha sido pelo risoto e pelas outras coisas [risos]”.

Antonio já passou pelo crivo de Rogerio Fasano. “Nunca cozinhei para ele alta gastronomia… Só comfort food, celebrando alguma data especial em família. Um roast beef com farofa, por exemplo. Ele nunca reclamou, comeu tudo”. Vem ver como foi o almoço aqui embaixo, na nossa galeria de fotos. (por Michelle Licory)